Pyongyang rejeita mídia sul-coreana em fechamento de instalação nuclear

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 18 de maio de 2018 as 12:20, por: CdB

A Coreia do Norte havia convidado um número limitado de jornalistas da Coreia do Sul e de outros países para testemunharem o que disse que será o fechamento de sua única instalação de testes nucleares em Punggye-ri

Por Redação, com Reuters – Seul:

A Coreia do Norte rejeitou uma lista de jornalistas sul-coreanos que acompanhariam o desligamento de sua instalação de testes nucleares, informou Seul nesta sexta-feira, despertando novas dúvidas sobre o comprometimento norte-coreano com a redução da tensão entre os vizinhos.

Líder norte-coreano, Kim Jong Un, em Pyongyang

A Coreia do Norte havia convidado um número limitado de jornalistas da Coreia do Sul e de outros países para testemunharem; o que disse que será o fechamento de sua única instalação de testes nucleares em Punggye-ri, na semana que vem.

A oferta norte-coreana

A oferta norte-coreana de desativar a estrutura foi vista como uma grande concessão após meses de apaziguamento da tensão entre Pyongyang; de um lado, e Seul e os Estados Unidos do outro.

Mas o progresso surpreendente parece ter sido refreado nos últimos dias; uma vez que a Coreia do Norte expressou dúvidas a respeito de uma cúpula inédita entre seu líder, Kim Jong Un; e o presidente dos EUA, Donald Trump, em Cingapura, no dia 12 de junho, e cancelou conversações de alto nível com a Coreia do Sul.

O Ministério da Unificação sul-coreano, encarregado dos contatos com Pyongyang, disse nesta sexta-feira; que a Coreia do Norte “declinou aceitar” uma lista de jornalistas apresentada por seu país para acompanhar o acontecimento.

Ameaaça

O ministério não deu detalhes, mas a decisão norte-coreana deve colocar em questão seu plano para a instalação de testes. Na quinta-feira Trump procurou apaziguar a Coreia do Norte; depois de esta ter ameaçado cancelar a cúpula de junho; dizendo que a segurança de Kim estará garantida; em qualquer acordo e que sua nação não sofrerá o destino da Líbia de Muammar Gaddafi; a menos que este não se concretize.

Na quarta-feira, a Coreia do Norte disse que pode não comparecer à reunião em Cingapura se os EUA continuarem a insistir; que o regime abdique unilateralmente de suas armas nucleares; que desenvolveu desafiando resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU); devido à percepção de uma hostilidade norte-americana.

O negociador-chefe

Também na quinta-feira, o negociador-chefe da Coreia do Norte qualificou a Coreia do Sul como “ignorante e incompetente”; repudiou os exercícios de combate aéreo entre EUA e Coreia do Sul e ameaçou interromper todas as conversas com Seul.

Na Casa Branca, Trump disse que, até onde sabe, a cúpula ainda está de pé; mas que Kim pode estar sendo influenciado por Pequim; ao que a China respondeu nesta sexta-feira que defende a paz e a estabilidade na península coreana.