Rafael Nadal diz que não tem medo da aposentadoria

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de dezembro de 2018 as 13:02, por: CdB

Sobre a temporada que acabou de terminar, Nadal revelou que não ficou contente com seu desempenho, especialmente por ter passado por momentos difíceis, como lesões que o tiraram de quadra.

Por Redação, com EFE – de Madri

O espanhol Rafael Nadal afirmou nesta terça-feira que não teme o momento de se aposentar do tênis, mas disse esperar que isso não ocorra em breve.

O espanhol Rafael Nadal afirmou nesta terça-feira que não teme o momento de se aposentar do tênis, mas disse esperar que isso não ocorra em breve

– Não tenho medo nenhum da aposentadoria. Será uma mudança dentro da minha vida, mas não me vejo atualmente nessa situação. Eu saberei, sentirei quando chegar o momento. Esse momento não chegou e espero que não seja em breve – disse à emissora espanhola “Vamos”.

Perguntado se tem como meta os Jogos Olímpicos de 2020, Nadal, ouro nas duplas no Rio de Janeiro, em 2016, e no simples na China, em 2008, respondeu que não considera a participação em Tóquio como uma meta de sua carreira.

– Tive a sorte de poder competir em plenas condições em duas Olimpíadas. Perdi a de Londres, na do Rio no limite, mas consegui a medalha. E em Pequim também – afirmou o tenista.

O vice-líder do ranking da ATP não compartilha da ideia de que haverá um “vazio” no tênis espanhol quando ele se aposentar.

– Haverá outro Nadal, certamente. Se eu fiz, outros farão, me considero uma pessoa normal – disse Nadal. “Mas será difícil igualar o que eu fiz”, completou o tenista espanhol.

Sobre a temporada que acabou de terminar, Nadal revelou que não ficou contente com seu desempenho, especialmente por ter passado por momentos difíceis, como lesões que o tiraram de quadra.

– Os resultados foram muito bons quando competi e tive chances de ganhar em praticamente todos os Grand Slams, mas joguei menos e tive mais problemas físicos do que gostaria de ter dito – resumiu.

– Quando vêm os momentos complicados em nível de lesões, sempre é momento de colocar na balança todas as coisas, mas o lado positivo é maior do que o negativo, apesar de eu ter sido castigado em minha carreira mais do que qualquer outro rival direto –disse Nadal.

Apesar de reclamar dos problemas sofridos, o espanhol disse ser grato por ter conseguido, mesmo com as lesões, se manter 14 temporadas entre os melhores do circuito mundial.

Sobre 2019, Nadal disse estar confiante em fazer uma preparação melhor do que neste ano, o que permitirá, segundo ele, que seu corpo “resista um pouco melhor” aos desafios da nova temporada.

Nadal também disse apoiar as mudanças que serão feitas na Copa Davis. “Quando as coisas deixam de funcionar, é preciso fazer algo. Se não for positivo, haverá tempo de retificar”, ressaltou.

– A Davis até hoje gerou problemas que ainda estão aí. Os melhores jogadores não estavam sempre disponíveis para todas as eliminatórias. Apoio a mudança porque as coisas deixaram de funcionar – disse o tenista espanhol.

Recuperação de cirurgia

Após passar por uma cirurgia no tornozelo direito, o tenista espanhol Rafael Nadal revelou no domingo que a recuperação está sendo melhor do que ele esperava e que a atual pré-temporada é melhor do que a do ano passado.

– Estou dando muitos passos para frente desde a cirurgia no pé. Comecei a jogar uma semana antes e com mais intensidade do que pensávamos. Aqui estamos, jogando mais ou menos firme, mas esperançosos para começar a nova temporada – disse o jogador em entrevista concedida à emissora CNN.

– Terminei o ano passado com meus joelhos muito mal. Não cheguei bem preparado para o início da última temporada – explicou.

Nadal, de 32 anos, não disputa um torneio desde 8 de setembro, quando abandonou a semifinal do US Open, contra o argentino Juan Martín del Potro, por um problema abdominal.

O espanhol volta às quartas em Abu Dhabi, com o tradicional torneio de exibição de Mubalada, entre 27 e 29 de dezembro. Depois, já parte para a Austrália, onde estreará no circuito no ATP 250 de Brisbane, preparatório para o Aberto da Austrália.

O vice-líder do ranking da ATP também comentou as inundações registradas em Mallorca, região onde ele nasceu, em outubro.

– Foi terrível, um dia muito difícil, aterrorizante e muito triste. Vivi essa tragédia muito de perto. Foi muito triste para as pessoas que perderam todas suas coisas, mas, sobretudo, pelas vidas que não podemos trazer de volta – afirmou.

Nadal revelou que teria que treinar no dia seguinte à tragédia, mas não conseguiu permanecer na quadra. Foi quando decidiu ir, junto com um grupo de amigos, ajudar as vítimas na cidade de Sant Llorenc.

– No dia seguinte, fomos à quadra e depois de 10 minutos, eu disse: ‘Meninos, não posso treinar’. Depois disso, decidimos ir para lá. Isso foi tudo – afirmou Nadal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *