Redução imposta aos juros no cheque especial derruba as ações dos bancos

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 28 de novembro de 2019 as 17:31, por: CdB

De acordo com o analista Luis Fernando Azevedo, do Banco Safra, o cheque especial represente cerca de 1% a 2% do crédito dos bancos, mas os spreads são muito altos, fazendo com que impacto sobre a margem financeira final, e portanto, para o lucro, possa ser relevante, conforme nota a clientes.

 

Por Redação – de São Paulo

 

As ações de bancos figuravam entre as maiores perdas do Ibovespa nesta quinta-feira, após o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovar resolução que muda o desenho do cheque especial, estabelecendo que a taxa de juros do produto não poderá superar 8% ao mês — cerca de 150% ao ano.

A B3 operava sem rumo certo, nesta quinta-feira, de olho na questão comercial entre EUA e China
A B3 operava sem rumo certo, nesta quinta-feira, de olho na questão comercial entre EUA e China

Por volta de 10h20, Bradesco PN caía 1,5%, Itaú Unibanco PN cedia 1,4%, Banco do Brasil ON recuava 1,1% e Santander Brasil Unit perdia 1%. No mesmo horário, o Ibovespa tinha queda de 0,2%.

De acordo com o analista Luis Fernando Azevedo, do Banco Safra, o cheque especial represente cerca de 1% a 2% do crédito dos bancos, mas os spreads são muito altos, fazendo com que impacto sobre a margem financeira final, e portanto, para o lucro, possa ser relevante, conforme nota a clientes.

Performance

A equipe do Credit Suisse avaliou, no entanto, que o impacto final deve ser limitado, dado que os bancos devem ter uma capacidade de compensar o impacto através de uma taxa para o cliente acessar o produto cheque especial e também pela possibilidade de reduzir o capital alocado, caso necessário.

Os analistas estimam um impacto de 2 bilhões a 6 bilhões de reais para o sistema, algo equivalente a 1% a 3% do lucro líquido para 2020 para os maiores bancos sob cobertura da casa.

“Vale lembrar que a possibilidade de alguma medida nessa linha já havia sendo ventilada há algum tempo e provavelmente pode ter uma parcela de contribuição na performance um pouco pior dos bancos nas últimas semanas”, disseram.

Sinal negativo

Para a equipe de análise da XP Investimentos, a resolução é um sinal negativo para os bancos, principalmente pelo tom do regulador de intervir diretamente no crédito.

Analistas do Bradesco BBI consideraram a medida de limitar os juros “sem precedentes”, estimando preliminarmente redução de 33% a 44% na contribuição para o lucro vindo dos empréstimos no cheque especial. Para os lucros dos bancos em 2020, calculam que a decisão pode implicar redução de 1% a 5%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *