Regina Duarte não tem ainda um cargo para chamar de seu, após a demissão

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 21 de maio de 2020 as 17:50, por: CdB

A deputada Zambelli admitiu, inclusive, que foi ela que gravou o vídeo em que Bolsonaro e a então secretária de Cultura falam sobre a mudança no cargo. Na gravação, a artista agradece o ‘presente’.

Por Redação – de São Paulo

A saída de Regina Duarte da secretaria de Cultura para a Cinemateca Brasileira, na véspera, levou a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) a revelar a verdade sobre o “presente” dado por Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo a parlamentar, o objetivo do presidente era não deixar a atriz “desamparada”.

Claudia Zambelli foi amplamente criticada por ter matriculado seu filho no Colégio Militar sem processo seletivo
Claudia Zambelli (PSL-SP) acompanhou a atriz Regina Duarte na visita ao presidente Bolsonaro (sem partido)

Zambelli admitiu, inclusive, que foi ela que gravou o vídeo em que Bolsonaro e a então secretária de Cultura falam sobre a mudança no cargo. Na gravação, a artista agradece o ‘presente’.

— Posso dizer com toda certeza. A Regina Duarte ainda não fez a saída dela. Houve a comunicação que a Regina gostaria de voltar para São Paulo e o presidente, preocupado com o fato de ela ter rompido com a TV Globo e para que ela não ficasse desamparada, conversou sobre a possibilidade de ela assumir uma função em um local importantíssimo e que hoje está muito em segundo plano, que é a Cinemateca — afirmou a deputada, a jornalistas.

Sem emprego

Na realidade, segundo a produtora cultural Celeste Silveira publicou nesta manhã, no site Antropofagista, que “questões jurídicas podem dificultar a ida da atriz para a instituição”.

“A Cinemateca Brasileira deixou de ser administrada diretamente pelo governo federal há quatro anos, quando teve sua gestão transferida para uma Organização Social (OS), a Acerp, Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto. O modelo usa características de administração privadas em entidades públicas”, explica.

Já o escritor Walcyr Carrasco, um dos mais destacados autores de novelas da TV brasileira, criticou Regina Duarte ao comentar sobre a saída da atriz da Secretaria de Cultura. “Valeu a pena, Regina?”, estava escrito na foto de Regina em uma publicação nas redes sociais.

“Regina Duarte foi demitida da Secretaria de Cultura depois de um processo de fritura vindo do próprio governo. Saída honrosa: dirigir a Cinemateca. A demissão era esperada, Regina nunca foi aceita por muitos bolsonaristas. Agora me respondam. Não quero defender Regina a quem já critiquei. Mas como alguém, no caso Bolsonaro, tira alguém de um emprego onde estava há 50 anos para demitir tão rapidamente?”, questionou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *