Reguladores dos Estados Unidos podem endurecer regras sobre Huawei

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 21 de maio de 2020 as 10:54, por: CdB

Reguladores dos Estados Unidos estão abertos a fazer mudanças para resolver o que alguns veem como uma brecha em uma nova regra que visa restringir a venda global de chips à chinesa Huawei, disseram duas autoridades dos EUA.

Por Redação, com Reuters – de Washington/Oakland

Reguladores dos Estados Unidos estão abertos a fazer mudanças para resolver o que alguns veem como uma brecha em uma nova regra que visa restringir a venda global de chips à chinesa Huawei, disseram duas autoridades dos EUA na quarta-feira.

A regra inclui apenas chips projetados pela Huawei e não cobre os que são enviados diretamente aos clientes da Huawei
A regra inclui apenas chips projetados pela Huawei e não cobre os que são enviados diretamente aos clientes da Huawei

A nova regra, divulgada pelo Departamento de Comércio na sexta-feira, expande a autoridade dos EUA para exigir licenças para vendas à Huawei de semicondutores fabricados no exterior com tecnologia dos EUA, ampliando o alcance do departamento para interromper as exportações para a segunda maior fabricante mundial de smartphones.

Mas a regra inclui apenas chips projetados pela Huawei e não cobre os que são enviados diretamente aos clientes da Huawei. Alguns advogados do setor veem isso como uma brecha significativa.

Ajustar a regra

Questionado na quarta-feira sobre o potencial de ajustar a regra para fechar essa lacuna, Christopher Ashley Ford, funcionário do Departamento de Estado, disse que a própria regra forneceria aos reguladores a percepção para determinar se ela deveria ser alterada.

A regra “nos dará muito mais informações sobre as quais basear as decisões de controle de exportação à medida que avançarmos e tentamos encontrar a resposta certa para esses desafios, incluindo a adaptação, se necessário, se a Huawei tentar contornar nossas regras de alguma forma”, disse Ford.

Ele acrescentou que os reguladores irão observar e “certamente farão as alterações que acharmos necessárias”.

A Huawei se recusou a comentar.

Falando na mesma apresentação que Ford, Cordell Hull, funcionário do Departamento de Comércio, disse que o órgão de fiscalização da agência vai monitorar os esforços para contornar as regras.

Apple e Google

Autoridades de 23 países de cinco continentes estão buscando acesso à tecnologia de rastreamento de contatos da Apple e do Google, anunciaram as empresas na quarta-feira ao lançar a versão inicial do seu sistema.

A tecnologia da parceria Apple-Google permitirá que os governos que enfrentam o coronavírus lancem aplicativos móveis nos próximos dias, que segundo as empresas, pode registrar de maneira confiável os usuários que estiverem próximos por pelo menos cinco minutos. Um usuário que mais tarde é infectado pelo vírus pode usar o aplicativo para notificar automaticamente e de maneira anônima as pessoas com quem teve contato recente.

Alguns governos elogiaram o sistema, que pode ajudá-los a testar e isolar mais indivíduos potencialmente infectados do que normalmente seriam capazes se dependessem apenas da memória dos pacientes suas interações recentes.

Outros, porém, ficaram frustrados com as regras definidas pela Apple e pelo Google que restringem o poder de coletar a localização, os números de telefone e outros detalhes dos usuários. Algumas dessas autoridades estão desenvolvendo aplicativos usando tecnologia própria, o que segundo a Apple e o Google terão falhas e esgotarão as baterias dos dispositivos.

As regras da Apple e do Google impedem que autoridades exijam o uso do aplicativo. Os aplicativos que utilizam outras tecnologias têm visto uma adoção limitada até o momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *