Reino Unido acelera preparativos para Brexit sem acordo

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 18 de dezembro de 2018 as 12:23, por: CdB

A pouco mais de 100 dias para a desfiliação, May ainda não conquistou o apoio de um Parlamento profundamente dividido para o acordo que ela fechou com Bruxelas no mês passado para manter laços próximos com o bloco.

Por Redação, com Reuters – de Londres

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e ministros intensificaram nesta terça-feira os preparativos para um eventual Brexit sem acordo, que se tornou mais provável devido ao impasse parlamentar sobre o tratado apresentado pela líder do país para a separação britânica da União Europeia.

Primeira-ministra britânica, Theresa May

A pouco mais de 100 dias para a desfiliação, May ainda não conquistou o apoio de um Parlamento profundamente dividido para o acordo que ela fechou com Bruxelas no mês passado para manter laços próximos com o bloco.

May disse que uma votação adiada do acordo ocorrerá em meados de janeiro, levando alguns parlamentares a acusá-la de tentar forçar a legislatura a endossá-lo devido à proximidade com 29 de março, o dia formal da separação.

May, que na semana passada sobreviveu a um voto de desconfiança de seu Partido Conservador, alertou os parlamentares que as alternativas ao pacto são sair sem acordo ou simplesmente não sair da UE.

– Debatermos o planejamento do ‘sem acordo’ hoje – disse a secretária de Desenvolvimento Internacional, Penny Mordaunt, a repórteres. “Está absolutamente certo intensificarmos o planejamento do ‘sem acordo’ agora. Não só precisamos preparar o país, mas também é a melhor maneira de fazer com que tenhamos um acordo”.

Neste mês o ministro das Finanças, Philip Hammond, disse que disponibilizou mais de 4,2 bilhões de libras para o planejamento do Brexit desde o referendo de 2016, e que alocará outros 2 bilhões de libras para departamentos do governo.

O porta-voz de May disse que isso será feito “em breve”.

A economia britânica desacelerou desde o referendo de 2016 que decidiu pelo rompimento com a UE, e não existe garantia de que negócios e consumidores continuarão tendo acesso livre de tarifas a bens europeus depois do Brexit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *