Reino Unido eleva nível de alerta por coronavírus em Londres

Arquivado em: América do Norte, Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 15 de outubro de 2020 as 11:19, por: CdB

O governo do Reino Unido vai impor restrições sociais mais rígidas em Londres para combater a covid-19, anunciou o secretário de Saúde do país, Matt Hancock, ao Parlamento britânico nesta quinta-feira.

Por Redação, com Reuters – de Londres/Bruxelas

O governo do Reino Unido vai impor restrições sociais mais rígidas em Londres para combater a covid-19, anunciou o secretário de Saúde do país, Matt Hancock, ao Parlamento britânico nesta quinta-feira.

Reino Unido eleva nível de alerta por covid-19 em Londres, impõe mais restrições
Reino Unido eleva nível de alerta por covid-19 em Londres, impõe mais restrições

A capital irá para o “nível 2”, ou “alto risco”, no novo sistema de alerta do governo, que tem três níveis. Anteriormente a cidade estava no “nível 1”, ou “risco médio”.

– Concordamos conjuntamente que Londres precisa ir para o nível local de alerta para covid-19 ‘alto – disse Hancock.

‘Tempo está se esgotando’, alerta UE

A Comissão Europeia fez um apelo aos países-membros nesta quinta-feira para intensificarem os preparativos para uma nova alta nas infecções por coronavírus e recomendou medidas em comum para a distribuição de vacinas quando elas ficarem disponíveis.

Com o número de novos casos diários chegando a 100 mil, a Europa superou por ampla margem os Estados Unidos, onde em média 51 mil novos casos de covid-19 são registrados todos os dias.

– O tempo está se esgotando – disse a comissária de Saúde da União Europeia, Stella Kyriakides, pedindo uma maior coordenação no rastreamento das infecções.

– A primeira prioridade de todos deve ser fazer o que for necessário para evitar as consequências devastadoras de lockdowns generalizados.

Ela também pediu que os governos do bloco adotem estratégias em comum para a distribuição de vacinas assim que elas se tornarem disponíveis, dando prioridade à aplicação nas populações mais vulneráveis.

Há pouco tempo para essa preparação, já que as primeiras doses devem ficar disponíveis no início do ano que vem, acrescentou ela.

A política de Saúde é uma prerrogativa nacional dentro do bloco de 27 países e a Comissão Europeia pode apenas recomendar a adoção de medidas em comum.