Reino Unido: estátua de escravagista é substituída por uma de manifestante negra  

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 15 de julho de 2020 as 12:53, por: CdB

A escultura de uma manifestante negra com o punho erguido foi instalada em uma operação noturna secreta no lugar daquela de um mercador de escravos inglês do século XVII, cuja estátua fora derrubada por manifestantes antirracismo na cidade portuária de Bristol.

Por Redação, com Reuters – de Bristol, Inglaterra

A escultura de uma manifestante negra com o punho erguido foi instalada em uma operação noturna secreta no lugar daquela de um mercador de escravos inglês do século XVII, cuja estátua fora derrubada por manifestantes antirracismo na cidade portuária de Bristol.

Escultura de manifestante negra em Bristol, Reino Unido
Escultura de manifestante negra em Bristol, Reino Unido

A estátua de Edward Colston, que fez fortuna comercializando escravos da África Ocidental, foi derrubada e atirada no mar no porto da cidade do sudoeste da Inglaterra no mês passado por manifestantes que protestavam contra a morte do norte-americano George Floyd, um homem negro de 46 anos, sob custódia da polícia da cidade de Mineápolis, em 25 de maio.

Uma escultura de Jen Reid, que foi fotografada na coluna da estátua de Colston pouco depois de esta ser removida, foi instalada na madrugada desta quarta-feira por uma equipe dirigida pelo artista Marc Quinn, segundo o jornal Guardian.

– A moradora Jen Reid e eu apresentamos uma nova instalação pública temporária, ‘Um Rompante de Poder (Jen Reid) 2020’, no topo da coluna vazia de Edward Colston em Bristol, Inglaterra – disse Quinn no Instagram, ao lado de uma foto da nova obra.

Quinn é conhecido por sua estátua da gestante com deficiência Alison Lapper instalada na Trafalgar Square, de Londres.

– Acho que é algo que o povo de Bristol realmente gosta de ver – disse Reid à rede BBC.

O prefeito de Bristol

O prefeito de Bristol disse que o futuro do que deveria substituir Colston deveria ser decidido pelo povo da cidade, e que a escultura de Reid foi montada por um artista radicado em Londres que não recebeu permissão para fazê-lo.

Mas alguns moradores elogiaram a medida.

– Existe um elemento de justiça poética nisso – disse David Hayes, de 42 anos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *