Reino Unido deve considerar oposição a imposto digital conforme busca acordo com EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 2 de março de 2020 as 12:46, por: CdB

O Reino Unido informou nesta segunda-feira que considerará a oposição norte-americana ao seu plano de impor um novo imposto digital sobre grandes empresas de tecnologia.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O Reino Unido informou nesta segunda-feira que considerará a oposição norte-americana ao seu plano de impor um novo imposto digital sobre grandes empresas de tecnologia, como Google, Facebook e Amazon, em seus esforços para chegar a um acordo de livre comércio com os Estados Unidos.

Ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, é visto em frente a Dowining Street, residência e escritório do primeiro-ministro, em Londres
Ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, é visto em frente a Dowining Street, residência e escritório do primeiro-ministro, em Londres

Esperava-se que uma taxa de 2% sobre o dinheiro que grandes empresas de tecnologia ganham com usuários britânicos fosse introduzida no próximo mês.

No entanto, a medida foi fortemente contestada por Washington, que afirmou que qualquer imposto desse tipo seria discriminatório e inapropriado.

“Observamos comentários sobre tributação digital e consideraremos isso como parte de nosso desenvolvimento de políticas”, afirmou o governo britânico em seu mandato para negociações comerciais com os Estados Unidos.

As maiores empresas de tecnologia

Em janeiro, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, disse que os EUA retaliarão qualquer movimento unilateral de taxar as maiores empresas de tecnologia do mundo.

– Se as pessoas quiserem colocar impostos arbitrariamente em nossas empresas digitais, consideraremos colocar impostos arbitrariamente em empresas de automóveis – disse ele.

O Reino Unido disse na época que não recuaria.

– É um imposto proporcional e deliberadamente concebido como um imposto temporário, portanto desaparecerá assim que houver uma solução internacional – disse Sajid Javid, que era ministro das Finanças na época e recentemente renunciou.

O país disse que deseja uma solução global para a questão da tributação de empresas digitais e está envolvido em discussões internacionais para encontrar uma.

O Reino Unido provavelmente fornecerá mais detalhes sobre sua proposta quando o substituto de Javid, Rishi Sunak, apresentar seu orçamento em 11 de março.

Desenvolvedores lançam criptomoeda

Desenvolvedores de criptomoedas criaram uma moeda digital que permite apostas na epidemia de coronavírus, com base em quantas pessoas ficam doentes ou morrem.

Chamada de “CoronaCoin”, sua oferta diminuirá a cada dois dias com base na taxa de novos casos, de acordo com seu site. A página sugere que o preço da moeda sobe quanto mais pessoas o vírus matar.

A epidemia de coronavírus está se tornando global, com seis novos países relatando seus primeiros casos na última sexta-feira e a Organização Mundial da Saúde (OMS) elevando alerta de impacto para “muito alto”.

A rápida disseminação do vírus, que surgiu na China em dezembro, provocou queda frenética nos mercados globais, com os três principais índices de ações dos EUA perto de terem a pior semana desde a crise financeira de 2008.

O fornecimento total da CoronaCoin é baseado na população mundial, e os tokens são queimados a cada 48 horas, com base no número de infectados ou mortos pela doença, segundo o site.

– Algumas pessoas especulam que grande parte do suprimento será queimada devido à disseminação do vírus e por isso investem – disse Sunny Kemp, usuário que se identificou como um dos desenvolvedores, no aplicativo de mensagens Telegram.

Kemp disse que a equipe é composta por sete desenvolvedores, com mais a entrar. Ele se recusou a identificar outras pessoas, mas disse que elas estavam localizadas principalmente na Europa.

Criptomoedas como bitcoin são moedas digitais que dependem de criptografia avançada para validar suas transações. As transações são registradas através de blockchain, que documenta a propagação do vírus e o token pode ser comprado e vendido em algumas corretoras online, como a Saturn.Network, de acordo com Kemp.

Cerca de 20% do suprimento será alocado para doação mensalmente à Cruz Vermelha, usando um conhecido processador de pagamentos de criptomoedas, disse Kemp.

Questionado se a moeda poderia ser considerada como mórbida, Kemp respondeu: “Há atualmente títulos ativos de pandemias emitidos pela OMS. No que isso seria diferente da moeda?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *