Reino Unido vê ratos se espalharem durante pandemia da covid-19

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 6 de março de 2021 as 11:26, por: CdB

Com ruas vazias e sem produção de lixo por restaurantes e bares, aparição de roedores dispara nas grandes cidades britânicas. Controle de pragas é considerado serviço-chave durante a crise da covid-19.

Por Redação, com DW – de Londres

Em Londres e em outras grandes cidades do Reino Unido, a aparição de ratos disparou durante a pandemia. A Associação Britânica de Controle de Pragas (BPCA), que representa 700 caçadores de pragas em todo o país, diz que seus funcionários relataram um aumento de 51% na atividade de roedores durante o primeiro lockdown, no primeiro semestre do ano passado, e um aumento de 78% desde novembro, quando as medidas de restrição de movimentação foram retomadas.

Com ruas vazias e sem produção de lixo por restaurantes e bares, aparição de roedores dispara nas grandes cidades britânicas

Normalmente, os ratos evitam os humanos e fazem dos esgotos suas casas. Entretanto, como resultado do fechamento do comércio e de ruas altas desertas, eles estão saindo mais e fazendo dos restaurantes, bares e prédios vazios seu novo habitat, em busca de comida.

– Parece que seus padrões de vida estão mudando. Os ratos, em particular, também estão se tornando mais visíveis em áreas habitadas. Com menos movimento nas cidades, há menos resíduos de alimentos sendo deixados nas latas de lixo e no chão. Além disso, as áreas de lixo atrás de restaurantes e pubs estão vazias e livres de resíduos alimentares, tornando-os indisponíveis para a população local de ratos – disse Natalie Bungay, técnica da BPCA, à agência alemã de notícias Deutsche Welle (DW) por e-mail.

Como resultado, os ratos também estão indo mais longe para encontrar outras fontes de alimento. “Os ratos parecem estar se movendo de cidades mais próximas a áreas residenciais, onde ainda estamos enchendo nossas lixeiras com resíduos alimentares”, afirmou Bungay.

Uma ideia muito discutida é que os gatos são o maior inimigo de um rato. Entretanto, pesquisas têm mostrado que nossos amigos felinos não são mais tão eficientes em capturá-los e matá-los devido ao tamanho dos ratos e à ferocidade deles.

Até mesmo Larry, o rato do número 10 de Downing Street, sede do governo, não está tendo muito sucesso em caçar roedores.

Controle de pragas: serviço essencial

O controle de pragas, que é fornecido pelos membros do BPCA, é considerado um serviço essencial durante a pandemia. “Ainda houve acesso aos serviços profissionais seguros da covid-19 durante a pandemia, mesmo em caso de fechamento. Se as visitas de controle de pragas forem mantidas, as propriedades e empresas devem estar em boa posição para reabrir com segurança”, diz Bungay.

O BPCA diz que há várias medidas que o público pode tomar para evitar infestações por roedores, tais como controlar acesso a fontes de alimentos e a realização de processos de limpeza e higiene minuciosos.

Higiene é a palavra-chave aqui. Os roedores são conhecidos por transportar e transmitir doenças como “leptospirose (uma doença bacteriana), salmonella, listeria, toxoplasma gondii (um parasita que forma cistos e pode afetar vários órgãos do corpo), e hantavirus (que pode causar doenças potencialmente mortais como febre hemorrágica ou síndrome pulmonar)”, como aponta Bungay.

Por mais desconcertante e preocupante que isso possa parecer, deve-se lembrar que os ratos tentam evitar o contato com humanos. Com menos gente nas ruas “talvez eles estejam ficando um pouco mais ousados e possivelmente sendo vistos em áreas que normalmente não o fariam”, diz Bungay.