Restaurantes de Nova York sofrem novas restrições

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 12 de dezembro de 2020 as 14:18, por: CdB

Os restaurantes de Nova York precisam parar de servir refeições em ambientes fechados a partir da próxima segunda-feira, uma vez que as hospitalizações por covid-19 não se estabilizam e a taxa de infecção pelo vírus aumenta, disse o governador Andrew Cuomo.  

Por Redação, com Reuters – de Nova York

Os restaurantes de Nova York precisam parar de servir refeições em ambientes fechados a partir da próxima segunda-feira, uma vez que as hospitalizações por covid-19 não se estabilizam e a taxa de infecção pelo vírus aumenta, disse o governador Andrew Cuomo.

Internações por coronavírus sobem para 5.321 e preocupam autoridades
Internações por coronavírus sobem para 5.321 e preocupam autoridades

Ele reconheceu que refeições em ambientes fechados respondem por apenas uma fração dos novos casos da cidade, mas disse estar preocupado com uma taxa de transmissão de 1,3, o que significa que uma pessoa infectada transmite para outras 1,3.

– A taxa subindo em um ambiente concentrado é realmente um problema agravante – afirmou. “A cidade de Nova York é diferente. Uma alta taxa de transmissão em um ambiente concentrado é diferente” disse.

Quase três quartos das infecções por coronavírus no Estado vêm de reuniões privadas, enquanto apenas 1,4% delas puderam ser rastreadas a restaurantes e bares, acrescentou.

Infecções por coronavírus

A medida ocorre pouco mais de 10 semanas depois que os restaurantes da cidade foram autorizados a retomar as refeições em recinto fechado, mas apenas com 25% da capacidade, pela primeira vez desde março.

Muitos adicionaram locais externos em antecipação à medida, que Cuomo alertou sobre o que aconteceria se a taxa de hospitalização não se estabilizasse.

Embora a taxa de casos positivos para coronavírus no estado esteja entre as mais baixas do país, as hospitalizações por covid-19 subiram para 5.321, levantando preocupações sobre o sistema de saúde, destacou o governador.