Reunião do PT discute diretrizes e avalia políticas do governo

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sábado, 13 de dezembro de 2003 as 14:40, por: CdB

Foi bastante movimentada a reunião, na manhã deste sábado, do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, destinada a examinar as diretrizes do governo de Luiz Inácio Lula da Silva para 2004. Os ministros também fizeram uma avaliação da execução das políticas econômica, social e externa do governo neste primeiro ano do governo Lula

De acordo com parlamentares que participaram do encontro, fechado à imprensa, o primeiro a falar, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, fez um balanço positivo das viagens que o presidente Lula fez ao exterior.

O secretário-geral do PT, Jorge Bittar, relatou que Amorim, para justificar o número de viagens internacionais feitas este ano por Lula, disse que diplomatas não substituem o papel que o presidente pode desempenhar, que produz resultados mais positivos e efetivos para o país.

De acordo com o deputado Paulo Bernardo (PT-PR), o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, reafirmou em seu pronunciamento que a economia brasileira tem todas as chances de crescer e que, para resolver o problema do desemprego, o governo precisa desenvolver políticas para cada setor.

 Por outro lado, o deputado Chico Alencar (PT-RJ) disse que o ministro Palocci deixou claro “que a mera política de estabilidade é insustentável para o PT”.

O Diretório Nacional também está reunido para decidir o futuro político dos deputados João Fontes (PT-SE), Babá (PT-PA), Luciana Genro (PT-RS) e da senadora Hloísa Helena (PT-AL). O ministro das Cidades, Olívio Dutra defendeu uma punição mais branda para os parlamentares, com a suspensão de seus direitos partidários por um ano.

Por outro, lado, seu colega da Saúde, Humberto Costa, afirmou que a proposta é “injusta” com aqueles que mostraram lealdade partidária na hora das votações das reformas e não concorda com a suspensão.

O ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, acrescentou que os parlamentares “além de entenderem que podem não votar de acordo com as exigências partidárias, se manifestaram de forma desrespeitosa com aqueles que estão na luta partidária há mais de 22 anos”. Por isso, de acordo com Berzoini, esses parlamentares “merecem as suas atitudes avaliadas”.

A expulsão dos parlamentares só será decidida neste domingo. Para que eles sejam expulsos, são necessários 43 votos dos 84 integrantes do Diretório Nacional do PT. A reunião do Diretório está sendo realizado no hotel Blue Tree Park, em Brasília.