Rio anuncia mais 15 linhas de ônibus a partir da próxima semana 

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de julho de 2022 as 13:50, por: CdB

Com a retomada desses serviços, serão 37 linhas a mais operando na cidade desde o dia 1º de junho, quando começou a vigorar o acordo judicial firmado entre o Município, os consórcios de ônibus e o Ministério Público Estadual.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, anunciou mais 15 linhas de ônibus a partir da próxima semana para suprir áreas que não estavam cobertas pelas linhas existentes.

Ônibus em circulação na cidade

Com a retomada desses serviços, serão 37 linhas a mais operando na cidade desde o dia 1º de junho, quando começou a vigorar o acordo judicial firmado entre o Município, os consórcios de ônibus e o Ministério Público Estadual. O plano operacional tem como objetivo regularizar, de forma gradual, o serviço de ônibus para atender todas as regiões da cidade.

Conforme foi estabelecido no acordo judicial, além da receita da tarifa paga pelos passageiros de R$ 4,05, os consórcios irão receber um valor adicional pelo serviço efetivamente prestado com base no quilômetro rodado. A prefeitura vai atestar a quilometragem rodada por meio de GPS.

Cozinha Comunitária Carioca

A prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), inaugurou na quarta-feira a 11ª Cozinha Comunitária Carioca do programa Prato Feito Carioca. A instalação foi montada na Vila Aliança, em Bangu, na Zona Oeste. Maria Íris Máximo Silva, de 54 anos, que está desempregada há quatro anos e se mantém fazendo bicos de faxineira e passadeira de roupa, contou, emocionada, que as refeições serão um socorro:

– Estou passando por uma fase muito complicada. A sensação que tenho é que estou em um buraco. Estou desempregada, sem alimentação dentro de casa e com aluguel atrasado na iminência de ser despejada. A refeição não vai me ajudar, ela vai me socorrer. Um prato de comida é uma grande paz.

Essa Cozinha Comunitária Carioca fica dentro do clube GRBC Boêmios da Vila Aliança e servirá 5,6 mil refeições no mês. O público das Cozinhas Comunitárias Cariocas é selecionado pelos 47 CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) da SMAS, e o acompanhamento é feito por assistentes sociais e nutricionistas. Para receber gratuitamente as refeições da Cozinha Comunitária Carioca as famílias precisam ter renda mensal per capita de R$ 105.

– Esse programa surgiu para enfrentar o mais grave problema brasileiro e o mais grave problema carioca que é a fome. Nós da Secretaria Municipal de Assistência Social não podíamos deixar de enxergar esse tão grave problema. Essa cozinha é especial, conta com a supervisão de nutricionistas – afirmou a subsecretária de Proteção Social Básica, Leila Marino.

As cozinhas nas comunidades são qualificadas, equipadas e integradas ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Cada equipamento recebe suporte operacional e técnico da Prefeitura para oferecer refeições nutritivas e balanceadas, seguindo o que determina a comunidade científica para o pleno desenvolvimento saudável.

– O cardápio, além de estar saboroso, está equilibrado, temos frango em cubos, purê de inhame, arroz, feijão. De sobremesa, tangerina. São alimentos que contêm fonte de ferro e vitamina C, que é essencial para combater a anemia – completou a nutricionista da Coordenadoria de Segurança Alimentar da Secretaria Municipal de Assistência Social, Márcia Mattos Magalhães.

Embora prevista pelo Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN), criado em 2006, as cozinhas comunitárias nunca foram implementadas de forma sistemática como programa de governo em nenhuma cidade brasileira. Têm a vantagem de oferecer alimentação na própria comunidade onde vivem famílias vulneráveis. E integram, na cidade do Rio, um programa global que também inclui o Cartão Prato Feito Carioca.

A entrega do cartão magnético Prato Feito Carioca, a partir desta sexta-feira, garantirá uma refeição por dia para trabalhadores informais inscritos no CadÚnico ( Cadastro único dos programas sociais federais), com renda mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210. O cartão não terá encargos para o usuário. O custo de cada refeição será subsidiado pela Prefeitura. Assim, quem trabalha longe de casa poderá também ter acesso a refeições gratuitas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code