Rio avalia que sistema de drenagem suportou chuva

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 18 de fevereiro de 2018 as 11:17, por: CdB

Marcelo Crivella, avaliou que o sistema de drenagem da cidade conseguiu suportar o volume de chuva  durante o temporal da da última quinta-feira

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Após uma reunião com assessores e secretários, no Centro de Operações Rio, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, avaliou que o sistema de drenagem da cidade conseguiu suportar o volume de chuva  durante o temporal da da última quinta-feira. O prefeito afirmou, por meio de nota divulgada pela assessoria de imprensa da prefeitura, que o temporal foi “sem precedentes nos últimos 100 anos”.

Prefeitura do Rio avalia que sistema de drenagem suportou chuva

– Nossos reservatórios na Zona Norte não chegaram a transbordar; e foi satisfatório. No dia seguinte de manhã, na Fazenda Botafogo, a drenagem conseguiu; que as águas tivessem um nível muito menor. Na Zona Oeste, no Jardim Maravilha, houve um tempo de escoamento maior; devido ao bairro estar bem abaixo da linha do mar; numa chuva que há décadas não caía sobre o Rio – avaliou Crivella; que estava em viagem à Europa entre o útlimo domingo e a sexta-feira.

O Jardim Maravilha, que tem quase 70 mil moradores, foi um dos locais mais afetados pela chuva no Rio de Janeiro; e permaneceu alagado horas após o dia amanhecer na última quinta-feira; Milhares de famílias tiveram suas casas alagadas e perderam bens. Moradores ouvidos pela Agência Brasil pediram obras urgentes de saneamento.

Outros bairros da Zona Oeste como Campo Grande e Jacarepaguá também estão entre que sofreram maiores danos; além da Ilha do Governador, na Zona Norte.

Estágio de atenção

A cidade permanece em estágio de atenção desde a madrugada de quinta-feira; quando a enxurrada deixou quatro mortos e 2 mil pessoas desabrigadas nas Zonas Norte e Oeste do Rio de Janeiro. Durante o temporal da quinta-feira, a estação Barra da Tijuca/Riocentro registrou 123,6 milímetros (mm) de chuva entre 0h e 1h, o maior volume já constado desde 1997, quando o sistema Alerta Rio começou a armazenar os dados.

A chuva derrubou 1,3 mil árvores e causou danos em diversos pontos da rede elétrica, o que, de acordo com a concessionária Light, chegou a deixar 20% dos clientes da cidade sem luz. A empresa ainda trabalha para normalizar o fornecimento, mas afirma que no momento restam apenas situações isoladas, sem grandes trechos de bairros afetados.

MP-RJ investiga viagens

A viagem de Crivella ao exterior virou objeto de investigação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. A 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva instaurou na sexta; um inquérito civil para apurar supostas irregularidades nas viagens internacionais do prefeito.

O promotor de Justiça Salvador Bemerguy vai averiguar se as viagens foram custadas pelos cofres do município e se estavam associadas ao interesse público. O MP-RJ vai pedir; que seja listada a justificativa oficial de cada viagem e a comitiva que acompanhou o prefeito.

Em novembro do ano passado, a prefeitura elevou em 46% o valor das diárias pagas aos agentes públicos em viagens oficiais ao exterior. No caso do chefe do Executivo, o valor da diária em deslocamentos para Europa foi reajustado de 297,27 para 435,87 euros. Em viagens fora da Europa a diária foi de US$ 280 para 410,55.

Por meio de nota, a prefeitura afirmou que Crivella esteve na Europa para conhecer drones; que podem ser usados para melhorar a segurança do Rio de Janeiro.

– Fui à Europa, numa viagem cansativa, porque nós precisamos de mais informações. O COR [Centro de Operações] tem câmeras ligadas pela cidade, mas não sabemos, por exemplo, o que acontece nas comunidades carentes. Se a gente colocar câmeras lá, elas serão alvejadas. Fomos a esses países conhecer seus drones, que são equipamentos que podem, de uma altura que não serão derrubados pelo crime organizado, nos dar informação de onde está o crime e como está se desenvolvendo – diz o prefeito no texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *