Rio fecha estabelecimentos e impede atividade irregular na Zona Norte

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 24 de junho de 2020 as 14:14, por: CdB

O resultado faz parte das ações conjuntas coordenadas, diariamente, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio fechou quatro de 18 estabelecimentos fiscalizados e impediu a atividade irregular de 74 ambulantes, na segunda-feira, na Pavuna e no Méier, na Zona Norte.
Força-tarefa de combate à pandemia fiscaliza áreas comerciais da Taquara e segue ao longo do dia para outros bairros da Zona Oeste
Força-tarefa de combate à pandemia fiscaliza áreas comerciais da Taquara e segue ao longo do dia para outros bairros da Zona Oeste

O resultado faz parte das ações conjuntas coordenadas, diariamente, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Ao todo, foram encontrados ainda 106 estabelecimentos fechados e 50 abertos de acordo com as diretrizes municipais. Na segunda-feira, a força-tarefa atua em bairros da Zona Oeste, começando pela Taquara.
O objetivo da prefeitura é impedir as atividades de lojas não essenciais e ambulantes irregulares, além de verificar as condições higiênico-sanitárias de estabelecimentos essenciais, como disponibilização de álcool em gel, entre outras medidas para evitar aglomerações e proteger a população do risco de contaminação.
A força-tarefa coordenada pela Seop conta com profissionais da Subsecretaria de Operações da pasta, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Fazenda, Subsecretaria de Vigilância Sanitária (da Secretaria Municipal de Saúde) e Comlurb, além do apoio da Polícia Militar em algumas áreas.

Balanço detalhado

Nas ações, os agentes percorreram áreas comerciais da Pavuna e do Méier. Na Pavuna, o roteiro contemplou a Rua Mercúrio, Praça Copérnico, avenidas Sargento de Milícias e Pastor Martin Luther King Júnior, e a feira do bairro.
As equipes fiscalizaram 52 ambulantes, seis estavam autorizados e os demais tiveram que encerrar suas atividades, e nove estabelecimentos. Destes, dois foram fechados por irregularidades (um quiosque foi interditado por falta de alvará, além de ser multado por aglomeração, e um hortifrúti estava sem alvará e licença sanitária). Outros dois também foram multados por aglomeração e falta de asseio.
A Comlurb recolheu 300 quilos de resíduos sólidos das ruas.
Já no Méier, a força-tarefa atuou na Rua Dias da Cruz, fechando dois de nove estabelecimentos fiscalizados. Um hortifrúti foi multado por aglomeração e falta de licença sanitária anual, e um bar por descumprimento do decreto municipal e falta de licença sanitária e de asseio.
No comércio ambulante, foram 37 fiscalizações (apenas nove estavam de acordo), com apreensão de 107 óculos, 60 potes de plástico e 30 quilos de pães.

Números gerais

Em mais de três meses de ações diárias em toda a cidade, a Seop registrou 32.158 estabelecimentos fiscalizados, com 23.871 pontos comerciais fechados, de 18 de março a 22 de junho.
Já as equipes do Disk Aglomeração atenderam 9.866 ocorrências desde 31 de março, início do serviço. Os 10 bairros mais demandados são: Campo Grande, Realengo, Bangu, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Taquara, Tijuca, Centro, Copacabana e Recreio dos Bandeirantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code