Rio: governador eleito diz que geração de empregos será prioridade

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 29 de outubro de 2018 as 12:34, por: CdB

As afirmações do governador eleito foram feitas durante encontro com parte da população na manhã desta segunda-feira, na Central do Brasil.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse nesta segunda-feira que o compromisso de gerar empregos para o Estado é uma prioridade. Segundo ele, será preciso atrair empresas e investimentos, retomar obras e movimentar o Porto Maravilha.

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel

– Nós precisamos gerar empregos, (essa é) a minha preocupação, meu pesadelo. A gente acha que é a segurança, que é, sim, prioridade, junto da saúde pública, mas isso vai naturalmente (melhorando) com uma gestão eficiente. Agora, gerar empregos não depende só de mim – explicou.

As afirmações do governador eleito foram feitas durante encontro com parte da população na manhã desta segunda-feira, na Central do Brasil, um grande terminal de trens urbanos e Metrô no Centro da cidade. Segundo Witzel, ele se deslocou até lá por Metrô para “mostrar que também é povo”.

– Eu sempre andei de metrô, por que seria diferente? Queria mostrar para as pessoas que a gente é povo. Tem os cuidados com a segurança, evidente, mas o povo precisa sentir que eu sou igual a todo mundo – disse.

Wilson Witzel também disse que instalará um quiosque do governo na Central para ouvir as demandas do povo. “A Central do Brasil vai ser um grande ponto para ouvir a população. Nós não podemos ficar encastelados em palácio”, explicou.

Secretarias

Witzel disse ainda que, antes de divulgar os nomes dos novos secretários, analisará o currículo de cada um. Ele também examinará postura e declarações já dadas a respeito do tema de cada pasta.

– Não olhamos qual é o passado político, olhamos currículo para não sermos surpreendidos por declarações que possam comprometer as nossas linhas de ação – argumentou.

O único nome já definido até o momento é o de Sérgio Aureliano, que cuidará do Rio Previdência. “A minha preocupação foi primeiro ter alguém com muita experiência na área da previdência. Agora vamos em busca de alguém para a Secretaria de Fazenda e Planejamento”.

O governador eleito também pretende implementar um novo modelo de plano de recuperação fiscal para o Rio. Segundo ele, o assunto será definido com o presidente eleito Jair Bolsonaro.

Witzel reafirmou que aceitou a proposta do atual governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, de ocupar um andar do Palácio Guanabara para iniciar os trabalhos de transição de governo. “Ele me telefonou no domingo colocando à disposição o Palácio Guanabara. A gente precisa de espaço para trabalhar. Foi uma campanha pobre, que tem dificuldade, (então) vamos ocupar o espaço”, disse o governador eleito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *