Rio: operação combate quadrilha com mais de 100 integrantes

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018 as 14:40, por: CdB

O grupo, acusado de tráfico de drogas e crimes conexos, também aliciou menores de idade para participar dos delitos. A operação prevê a responsabilização de dez adolescentes na Vara da Infância e Juventude

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagrou nesta quinta-feira operação para cumprir 92 mandados de busca e apreensão e de prisão contra uma quadrilha que conta com mais de 100 integrantes no sul Fluminense.

Rio: operação combate quadrilha com mais de 100 integrantes

O grupo, acusado de tráfico de drogas e crimes conexos, também aliciou menores de idade para participar dos delitos. A operação prevê a responsabilização de dez adolescentes na Vara da Infância e Juventude.

Para dar conta do número de criminosos, sete denúncias foram apresentadas à 2ª Vara Criminal de Resende; sendo uma delas perante a Auditoria Militar. Ao todo, 22 equipes da coordenadoria de Segurança e Inteligência do MP-RJ foram à região.

Segundo o MP-RJ, a organização criminosa agia como uma empresa formal; com ramificações em outras cidades da região; e em municípios do estado de São Paulo. A quadrilha tinha ligações com facções criminosas do Rio de Janeiro e com o Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo; e estabeleceu uma célula formal desses grupos no sul do estado do Rio de Janeiro.

Ministério Público

Com os mandados de busca e apreensão, o Ministério Público espera obter provas de outros crimes e apreender bens obtidos com a prática criminosa.

Entre os denunciados estão dois policiais militares lotados no 37º Batalhão: Jorge Leonardo Batista Correa e Dorvagnes Fernando de Andrade Silva do Nascimento. Eles são acusados de extorsão, descoberta por meio de intercepções telefônicas. Os PMs chegaram a exigir R$ 30 mil para não apreender um veículo clonado e prender dois criminosos.

As investigações também apontaram que um dos denunciados usava uma creche, onde era vigia, para armazenar munições calibre .50 e materiais para a preparação de entorpecentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *