Rio põe fogo em duas toneladas de materiais irregulares

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de fevereiro de 2021 as 13:27, por: CdB

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente ateou fogo em duas toneladas de materiais irregulares, recolheu 850 quilos de lixo, autuou uma pessoa e retirou várias barracas de acampamento e comércio ilegais, nesta terça-feira.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente ateou fogo em duas toneladas de materiais irregulares, recolheu 850 quilos de lixo, autuou uma pessoa e retirou várias barracas de acampamento e comércio ilegais, nesta terça-feira, nas praias selvagens do Perigoso, do Meio e Funda, localizadas no Parque Natural Municipal de Grumari, na Zona Oeste do Rio.

O material irregular apreendido foi incinerado na própria praia

O objetivo da operação, entre os bairros de Grumari e Barra de Guaratiba, foi reprimir acampamentos em área protegida e retirar barracas de venda de bebidas clandestinas. As praias do Perigoso, do Meio e Funda têm proteção integral, o Parque de Grumari é gerido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

– São áreas protegidas, riquezas da cidade, que precisam ser cuidadas. Esta é mais uma ação de defesa dura do meio ambiente – disse o secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere.

Os principais materiais recolhidos foram latas de cerveja, garrafas PET e sacos de biscoito.  A ação contou com apoio da PM Ambiental, da Guarda Municipal do Rio e da Capitania dos Portos.

As equipes, com 50 pessoas, chegaram à Praia do Perigoso por mar e por terra. Por mar, um grupo aportou em embarcação da Capitania dos Portos; e por terra, a equipe teve de percorrer, por cerca de uma hora, uma trilha de difícil acesso.

Botes infláveis

Parte do material foi apreendido, colocado em botes infláveis da prefeitura e transportado para a embarcação da Capitania do Portos. Os materiais utilizados para construção de barracas clandestinas foram incendiadas pela fiscalização.

A prática é permitida pelo decreto federal 6514/08, que diz, em seu artigo 111, que os produtos, inclusive madeiras, subprodutos e instrumentos utilizados na prática da infração poderão ser destruídos ou inutilizados quando o transporte e a guarda forem inviáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code