Rio tem déficit de vagas em abrigos para moradores de rua

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 29 de julho de 2021 as 14:21, por: CdB

A chegada de uma frente fria ao Rio de Janeiro, com chuva, ventos fortes e queda de temperatura nos últimos dias, voltou a evidenciar os riscos para a população em situação de rua na capital fluminense. Nos próximos dias, a mínima em alguns pontos da cidade pode ficar abaixo dos 10ºC.

Por Redação, com Brasil de Fato – do Rio de Janeiro

A chegada de uma frente fria ao Rio de Janeiro, com chuva, ventos fortes e queda de temperatura nos últimos dias, voltou a evidenciar os riscos para a população em situação de rua na capital fluminense. Nos próximos dias, a mínima em alguns pontos da cidade pode ficar abaixo dos 10ºC.

Chegada de frente fria ao Rio, com chuva, ventos fortes e queda de temperatura, voltou a evidenciar riscos para a população em situação de rua na capital

Na quarta-feira, o vereador Reimont (PT) conversou com a secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro, e com o prefeito Eduardo Paes (PSD) para saber que ações a Prefeitura do Rio têm programadas para dar assistência à população em situação de rua durante os dias de frio.

– Uma das respostas que recebi é que os abrigos estão funcionando normalmente, mas sabemos que só isso não basta. O Rio de Janeiro tem muito mais pessoas vivendo nas calçadas do que vagas disponíveis nesses locais – relatou o vereador.

Centro de acolhimento emergencial

Reimont sugeriu a abertura do Sambódromo, na região central da cidade, como um centro de acolhimento emergencial, levando em conta que boa parte da população sem moradia está no centro. “O frio mata, a cidade precisa se preparar e oferecer auxílio à população em situação de rua”, completou.

Em resposta ao Brasil de Fato, a Secretaria Municipal de Assistência Social afirmou que o Sambódromo abriga escolas e não tem estrutura para o trabalho da pasta. A prefeitura informou que desde a última sexta-feira criou 100 vagas emergenciais em abrigos da Taquara, Ilha do Governador e Paciência e colocou duas unidades da rede no Centro e em Laranjeiras abertas 24 horas por dia.

– Nessa madrugada foram realizadas 275 abordagens pelas equipes que circularam por 13 bairros, e 33 pessoas aceitaram acolhimento; nesta quinta-feira de manhã outras 30 pessoas também aceitaram. Foi reaberta a Campanha do Agasalho, que no dia anterior distribuiu 1 tonelada de itens de inverno nos abrigos da Prefeitura – anunciou a secretária Laura Carneiro.

Segundo a Prefeitura, há 7,2 mil pessoas em situação de rua atualmente, mas a assessoria do vereador Reimont acredita que esse número pode ser bem maior.

– O déficit de vagas é 5 mil e ele continua. Se pegarmos o número atual de vagas, 2,2 mil, e os números sobre população em situação de rua, que acreditamos ser maior que 7,2 mil, ainda faltam cinco mil vagas – questionou o vereador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code