Roma completa 2.771 anos e faz jus ao título de Cidade Eterna

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sábado, 21 de abril de 2018 as 19:39, por: CdB

As celebrações oficiais começaram durante a manhã, com a deposição de uma coroa de flores no Altar da Pátria pela prefeita de Roma, Virginia Raggi.

 

Por Redação, com Ansa – de Roma

 

A cidade de Roma, capital da Itália, completa neste sábado 2.771 anos de existência. A data, chamada “Natal de Roma”, remete à lenda da fundação da “cidade eterna”, feita por Rômulo em 21 de abril de 753 a.C.

Roma, Cidade Eterna, comemorou seu aniversário com festividades modestas
Roma, Cidade Eterna, comemorou seu aniversário com festividades modestas

As celebrações oficiais começaram durante a manhã, com a deposição de uma coroa de flores no Altar da Pátria pela prefeita Virginia Raggi, que também participou de uma missa. No entanto, o programa da Prefeitura prevê três dias de eventos, que começaram na sexta (20) e terminam neste domingo.

— Estou orgulhosa que Roma possa festejar de modo aberto, porque o que mais desejamos é que os romanos e que todas as pessoas que escolheram viver em Roma reconheçam esta cidade como sua casa e voltem a amá-la e respeitá-la — disse Raggi.
Entre os eventos programados estão leituras sobre o mito de Rômulo e Remo, visitas gratuitas a sítios arqueológicos, shows e a reabertura de um jardim de rosas municipal.

Mito

Como há poucas referências históricas e documentais sobre a fundação de Roma, acabou prevalecendo a mitologia. Reza a lenda que Amúlio, irmão do rei de Alba Longa, Numitor, conseguiu dar um golpe e prender o monarca, fazendo a filha deste, Reia Silvia, casta para que o soberano não tivesse uma linha de descendência.

No entanto, Marte, deus romano da guerra, engravida Reia, que dá à luz os gêmeos Rômulo e Remo. Sabendo da existência dos bebês, Amúlio pede para que um empregado os mate. Mas este, no entanto, com pena das crianças, joga os dois no rio Tibre. Espera, assim, que as crianças nunca mais voltem.

Mas elas são resgatadas por uma loba, que cuida dos bebês até que um casal de pastores os encontra. Tempos depois, Remo se envolve em uma briga com vizinhos e acaba preso. Quando Rômulo salva o irmão, descobre sobre sua história e consegue matar Amúlio e salvar Numitor.

Como agradecimento, o avô dos jovens permite que os dois fundem uma cidade às margens do Tibre. Depois de conflitos sobre quem governaria o novo reino, Rômulo acaba matando seu irmão e criando Roma. A escultura retrata os irmãos sendo amamentados pela loba. A Lupa Capitolina é um dos ícones da capital italiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *