Roma critica árbitro após derrota para o Liverpool na Liga dos Campeões

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 3 de maio de 2018 as 12:28, por: CdB

A Roma venceu a partida de volta realizada no Stadio Olimpico na quarta-feira por 4 a 2, mas os ingleses venceram com o placar agregado de 7 a 6

Por Redação, com Reuters – do Roma:

O presidente da Roma, James Pallotta, criticou a arbitragem depois que seu time foi eliminado pelo Liverpool na semifinal da Liga dos Campeões, e disse que será uma “grande piada” se o sistema de árbitro de vídeo (VAR) não for adotado na competição.

Goleiro Karius derruba Dzeko em jogo Liverpool x Roma

A Roma venceu a partida de volta realizada no Stadio Olimpico na quarta-feira por 4 a 2, mas os ingleses venceram com o placar agregado de 7 a 6, e Pallotta acredita que várias decisões do árbitro prejudicaram seu clube.

– Sei que é difícil arbitrar, mas é realmente constrangedor perdermos no agregado dessa maneira – disse ele a repórteres depois do jogo. “Não se pode deixar coisas assim acontecerem”.

Pallotta acredita que o árbitro deixou de marcar dois pênaltis a favor da Roma.

Edin Dzeko foi derrubado pelo goleiro adversário, Loris Karius, pouco depois da volta do intervalo, mas o atacante foi considerado impedido.

Liverpool

O lateral do Liverpool Trent Alexander-Arnold também pareceu interceptar um chute de Stephan El Shaarawy com a mão dentro da área, mas o incidente não foi considerado pênalti.

– Vocês podem todos ver por si mesmos. Aos 49 minutos ele não estava impedido e é derrubado pelo goleiro – disse Pallotta sobre a primeira suposta infração.

– Foi um toque com a mão que provavelmente foi óbvio para qualquer pessoa do mundo, exceto para as pessoas no campo. Deveria ter sido um cartão vermelho que teria deixado (o Liverpool com) 10 homens aos 63 minutos.

– Se eles não colocarem o VAR na Liga dos Campeões será uma grande piada.

Ex-técnico de El Salvador

Ramón Maradiaga, ex-técnico de El Salvador, foi afastado pela Fifa por dois anos; por supostamente não ter relatado uma tentativa de manipular o resultado de um jogo antes da eliminatória da Copa do Mundo de sua seleção contra o Canadá em 2016; informou a entidade global do futebol na quarta-feira.

A Fifa disse que Maradiaga, hondurenho que defendeu seu país no Mundial de 1982; “permitiu e deixou de relatar” uma reunião na qual uma terceira parte ofereceu uma “compensação financeira” aos jogadores em troca da combinação do resultado.

A entidade disse que a oferta foi rejeitada e comunicada pelos jogadores em uma coletiva de imprensa em 5 de setembro de 2016; incidente amplamente noticiado à época.

Não foi possível contatar Maradiaga de imediato para obter comentários.       

El Salvador estava na lanterna de seu grupo de quatro times, com dois pontos em cinco jogos; e já havia sido eliminado da disputa por vagas na Copa do Mundo deste ano na Rússia.

Derrota

Mas uma derrota contundente de El Salvador poderia ter permitido ao Canadá terminar à frente de Honduras; e avançar para a fase seguinte da competição pela diferença de gols.

Os canadenses acabaram vencendo por 3 a 1; mas foram eliminados quando Honduras empatou sem gols fora de casa com o México.

Maradiaga, de 63 anos, foi considerado culpado de violar as regras éticas da Fifa sobre recebimento de suborno e corrupção; e dever de prestar informações; disse a entidade em um comunicado. Ele também recebeu uma multa equivalente a US$ 20 mil .

Ele é muito conhecido em toda a América Central, onde treinou as seleções de Honduras e Guatemala e times como Marathon, Motagua, Real España e Águila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *