Rússia aprova prorrogação de tratado de armas nucleares com EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 27 de janeiro de 2021 as 11:30, por: CdB

A câmara baixa do Parlamento russo aprovou nesta quarta-feira a prorrogação do acordo sobre armas nucleares Novo START com os Estados Unidos, que uma autoridade de alto escalão russa disse que foi acertado de acordo com os termos pretendidos por Moscou.

Por Redação, com Reuters – de Moscou

A câmara baixa do Parlamento russo aprovou nesta quarta-feira a prorrogação do acordo sobre armas nucleares Novo START com os Estados Unidos, que uma autoridade de alto escalão russa disse que foi acertado de acordo com os termos pretendidos por Moscou.

Vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, chega para reunião em Viena

O Kremlin disse na terça-feira que os dois países alcançaram um acordo para ampliar o pacto, assinado em 2010, que expiraria na semana que vem e limita a quantidade de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeios que a Rússia e os EUA podem usar.

O Novo START (sigla para Strategic Arms Reduction Treaty, ou Tratado de Redução de Armas Estratégicas) é um marco para o controle de armas global.

– A essência do acordo é a prorrogação por cinco anos, como foi assinado, sem quaisquer mudanças – disse o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, à Duma, a câmara baixa do Parlamento.

Proposta

A câmara alta deve votar sobre o tratado ainda nesta quarta. Uma vez aprovado pelas duas Casas, uma proposta se torna lei ao ser sancionada pelo presidente Vladimir Putin.

Ryabkov disse que a prorrogação foi acertada “sob nossos termos”, de acordo com a agência de notícias TASS.

Moscou e Washington fracassaram em acordar uma prorrogação sob o governo do ex-presidente norte-americano Donald Trump, cuja gestão queria incluir condições rejeitadas pela Rússia.

Em um telefonema na terça, Putin e o presidente dos EUA, Joe Biden, concordaram que suas equipes têm de trabalhar juntas para concluir a prorrogação até 5 de fevereiro, quando o acordo venceria.