Rússia e China estudam abandonar o padrão dólar

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 22 de março de 2021 as 15:19, por: CdB

O chanceler explicou que a vida obriga ambos os Estados a construir uma linha de desenvolvimento econômico e social de forma a não depender dos “caprichos dos parceiros ocidentais”. Segundo Lavrov, “precisamos reduzir os riscos de sanções fortalecendo nossa independência tecnológica”.

Por Redação, com Sputniknews – de Moscou

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov afirmou, nesta segunda-feira, que equipes econômicas russas e chinesas estudam uma medida revolucionária no panorama econômico mundial. Os dois países estudam abandonar o padrão dólar nas negociações comerciais entre eles e um grupo de países alinhados.

O padrão-ouro foi substituído pela moeda norte-americana e os petrodólares
O padrão-ouro foi substituído pela moeda norte-americana e os petrodólares

— Os riscos das sanções dos EUA precisam ser aliviados, mudando para moedas alternativas e deixando de usar o dólar — afirmou Lavrov.

Alternativas

Diante das sanções norte-americanas junto à Rússia e a China, o chanceler russo Sergei Lavrov instou os países a responderem aos “ataques”.

— Você vê como os Estados Unidos declaram sua tarefa de limitar as possibilidades de desenvolvimento tecnológico tanto da Rússia quanto da China — disse o ministro.

O chanceler explicou que a vida obriga ambos os Estados a construir uma linha de desenvolvimento econômico e social de forma a não depender dos “caprichos dos parceiros ocidentais”.

Segundo ele, “precisamos reduzir os riscos de sanções fortalecendo nossa independência tecnológica, mudando para pagamentos em moedas nacionais e em moedas mundiais, alternativas ao dólar”.

Lado errado

Em seguida, ele instou Rússia e China a adotarem medidas para reduzir a influência dos EUA. “Precisamos deixar de usar sistemas de pagamentos internacionais controlados pelo Ocidente”, disse Lavrov.

O ministro disse que os EUA pretendem limitar o desenvolvimento tecnológico da Rússia e da China, por isso os dois países precisam fortalecer sua independência.

— Eles (EUA) estão promovendo sua agenda ideologizada com o objetivo de manter seu domínio, impedindo o desenvolvimento de outros países. Essa política vai contra a tendência objetiva e, como se costuma dizer, está do lado errado da história — concluiu o chanceler.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code