Rússia irá expandir ‘lista negra’ de norte-americanos em resposta a sanções

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de março de 2018 as 10:15, por: CdB

Moscou ainda quer manter um diálogo com Washington, mas toma contramedidas devido à “teimosia política norte-americana”, disse o diplomata de acordo com a agência

Por Redação, com Reuters – de Moscou:

A Rússia irá responder a um novo pacote de sanções impostas pelos Estados Unidos expandindo sua “lista negra” de cidadãos norte-americanos, disse o vice-ministro de Relações Exteriores do país, Sergei Ryabkov, nesta sexta-feira, segundo a agência de notícias RIA.

Vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, em Genebra, na Suíça

O Departamento do Tesouro norte-americano impôs sanções contra cinco entidades e 19 cidadãos russos na quinta-feira; nos passos mais significativos tomados pelos Estados Unidos contra a Rússia desde que o presidente Donald Trump assumiu o poder. 

– Desde o primeiro momento, nós usamos o princípio de paridade no número de pessoas incluídas em listas de sanções. Então; vamos expandir nossa ‘lista negra’ com outro grupo de norte-americanos – disse Ryabkov, segundo a agência. 
 

Aplicar medidas

Ele acrescentou que Moscou não descarta a possibilidade de aplicar medidas extras em resposta às novas sanções; impostas pelo suposto envolvimento russo nas eleições norte-americanas e em ciberataques, o que a Rússia nega. 

Moscou ainda quer manter um diálogo com Washington, mas toma contramedidas devido à “teimosia política norte-americana”; disse o diplomata de acordo com a agência. 

– Esses políticos (norte-americanos) estão brincando com fogo destruindo o relacionamento russo-norte-americano porque, simultaneamente, eles abalam a estabilidade global – disse.

Ataque com agente nervoso

O ministro de Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, disse nesta sexta-feira que é bastante provável que o próprio presidente russo, Vladimir Putin, tenha tomado a decisão de usar o agente nervoso de nível militar para envenenar o ex-espião russo Sergei Skripal na Inglaterra. 

– Nós não temos nada contra os russos. Não deve haver nenhuma russofobia como resultado do que está acontecendo – disse Johnson. 

– Nossa briga é com o Kremlin de Putin e com a sua decisão; e nós pensamos que é esmagadoramente provável que tenha sido decisão dele; de orientar o uso de um agente nervoso nas ruas do Reino Unido, nas ruas da Europa, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial. 

A Rússia nega qualquer envolvimento no envenenamento de Skripal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *