Rússia retoma teste de vacina após pausa

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 19 de novembro de 2020 as 14:16, por: CdB

A Rússia retomou a vacinação de novos voluntários no teste de sua vacina contra covid-19 Sputnik V depois de uma pausa curta, disseram funcionários de seis das 29 clínicas de teste, agora que Moscou tenta acelerar os planos para inocular a população.

Por Redação, com Reuters – de Moscou

A Rússia retomou a vacinação de novos voluntários no teste de sua vacina contra covid-19 Sputnik V depois de uma pausa curta, disseram funcionários de seis das 29 clínicas de teste, agora que Moscou tenta acelerar os planos para inocular a população.

Profissional de saúde prepara potencial vacina russa contra covid-19 Sputnik V
Profissional de saúde prepara potencial vacina russa contra covid-19 Sputnik V

No final de outubro, oito clínicas disseram à Reuters que o teste havia sido interrompido temporariamente para novos voluntários, e algumas clínicas citaram a procura alta e a escassez de doses.

Alexander Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya, que desenvolveu e fabrica a vacina, disse à época que a inclusão de novos voluntários só foi freada por causa da decisão de se concentrar em administrar uma segunda dose àqueles já vacinados.

“A vacinação recomeçou. A partir de segunda-feira, voltaremos a fazer o primeiro componente (da vacina de duas doses)”, disse um funcionário da Clínica Número 46 de Moscou à agência inglesa de notícias Reuters nesta semana.

Mais de 20 mil voluntários

Repórteres da Reuters viram filas de pessoas esperando exames médicos pré-vacinação em três clínicas de teste moscovitas na segunda, quarta e quinta-feiras.

“Recomeçamos a vacinação. Muitas pessoas vêm para ser inoculadas”, disse um profissional de saúde da Clínica Número 170.

Até o dia 11 de novembro, mais de 20 mil voluntários haviam recebido a primeira das duas doses, e mais de 16 mil deles a primeira e a segunda, de acordo com o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF). Os desenvolvedores de vacinas pretendem administrá-la a 40 mil pessoas inicialmente.