Saiba mais sobre crescimento do financiamento imobiliário com poupança nos últimos meses

Arquivado em: Negócios
Publicado terça-feira, 3 de julho de 2018 as 14:22, por: CdB

O jogo anda virando e o financiar imóvel com o uso de recursos da caderneta de poupança vem crescendo nos últimos meses.

 

Publieditorial – de São Paulo

O mercado imobiliário, assim como quase todos os segmentos da economia do País, por conta da crise econômica, também apresentou queda em 2017. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, a Abecip, o financiamento imobiliário com recursos da poupança caiu 7,4% em 2017.

Um dos fatores que impulsionaram o aumento dos financiamentos imobiliários no Brasil em 2018 foi o uso da caderneta de poupança
Um dos fatores que impulsionaram o aumento dos financiamentos imobiliários no Brasil em 2018 foi o uso da caderneta de poupança

Segundo a associação, que representa instituições do segmento, financiamentos de imóveis com a poupança chegaram a R$ 43,15 bilhões no ano passado, com a negociação de 175,6 mil unidades, redução de 12,1% quando comparado aos 199,7 mil imóveis financiados em 2016.

Porém, o jogo anda virando e o financiar imóvel com o uso de recursos da caderneta de poupança vem crescendo nos últimos meses. Em nova pesquisa, revelada no último mês de maio, a Abecip manteve sua previsão de crescimento de 10% no número de financiamentos imobiliários em 2018.

Mas por que esse número cresceu? As pessoas estão realmente usando mai a poupança para financiar seu imóvel? Essa, e outras perguntas, responderemos a seguir!

Valiosa caderneta de poupança

Um dos fatores que impulsionaram o aumento dos financiamentos imobiliários no Brasil em 2018 foi o uso da caderneta de poupança. Segundo a Abecip, apenas no 1º trimestre, o volume de crédito imobiliário com recursos da poupança aumentou 11,2 % e alcançou 11,19 bilhões de reais com relação ao mesmo período de 2017.

Outros recursos, como a liberação do FGTS e até redução das taxas pela Caixa Econômica Federal também colaboram para a volta do crescimento deste tipo de negócio.

Combinação de fatores

Outro dado da Abecip que precisa ser ressaltado é que o aumento do financiamento de imóveis com recursos da caderneta de poupança só foi possível por conta da combinação de 3 fatores: mínima histórica do juro básico, caderneta de poupança em expansão de volumes e leve recuperação do setor de empregos.

Com essa combinação, a associação previu e conformou a alta de 10 % do volume de crédito imobiliário concedido pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.

Redução dos juros impulsionou negócio

Já vimos que a redução de juros anunciada pela Caixa Econômica Federal em março foi um dos principais fatores que fizeram o financiamento a partir de recursos da caderneta de poupança voltar a crescer em 2018.

Em abril, por exemplo, a Caixa anunciou que os financiamentos imobiliários através de recursos da poupança atingiram R$ 4,11 bilhões, crescimento de 8,1% em relação a março. Com relação o mesmo período de 2017, o crescimento foi ainda maior e atingiu 31,2%.

Segundo a Abecip, nos primeiros 4 meses de 2017, operações com a poupança já somaram R$ 15,3 bilhões, alta de 15,9% frente a 2017. Porém, nos últimos 12 meses do ano, até abril, o resultado ainda apresenta queda de 0,3% com relação aos outros 12 meses.

Valores da redução da Caixa

Em março último, a Caixa anunciou a redução nos juros do financiamento. Mas qual foi essa redução? Para imóveis inclusos no Sistema Financeiro Habitacional, imóveis residenciais de até R$ 800 mil ou R$ 950 mil, a taxa caiu de 10,25% para 9% ao ano.
Já para imóveis do Sistema de Financiamento Imobiliários, com valores acima dos limites do SFH, a taxa caiu de 11,25% para 10% ao ano.

Como vimos a queda nas taxas de juros e a melhora na perspectiva da economia do País, pelo menos que momentânea, acabaram ajudando a impulsionar o mercado do financiamento de imóveis através do saldo de contas de poupança.

É importante, porém, saber a hora certa de utilizar o recurso, para evitar prejuízos. O importante agora, no entanto, é analisar bem o mercado e comemorar muito o crescimento do setor, já que isso pode ser um sinal de que a economia deve voltar aos trilhos.

Se você pensa em fazer um financiamento imobiliário perceba que as condições são boas e que você pode aproveitar a onda crescente para também aproveitar dos benefícios!