Salão de Genebra deixa claro que o futuro está na energia limpa

Arquivado em: Destaque do Dia, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 10 de março de 2019 as 18:13, por: CdB

A Piëch Automotive, sediada em Zurique e Munique, ainda é muito nova. A empresa foi fundada em 2016 por Anton Piëch e Rea Stark Rajcic, emprega cerca de 20 pessoas.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Genebra

Pouco conhecido do público sul-americano, mas reverenciado nos países de língua alemã, o nome Piëch voltou às manchetes ao apresentar, no Salão do Automóvel de Genebra — encerrado neste domingo — o protótipo elétrico Piëch Mark Zero. O esportivo de dois lugares foi fabricado por uma empresa suíça e mostra uma revolução no uso da energia limpa.

Cartaz do Piëch Mark Zero Elektro-Sportwagen (carro esporte movido à eletricidade)
Cartaz do Piëch Mark Zero Elektro-Sportwagen (carro esporte movido à eletricidade)

Anton Piëch tem gasolina no sangue: ele é um dos filhos de ex-chefão da Volkswagen, Ferdinand Piëch, e bisneto de um dos fundadores da Porsche – Ferdinand Porsche. Mas com sua empresa, ele se afasta dos combustíveis fósseis e adentra a cena da mobilidade sustentável.

A Piëch Automotive, sediada em Zurique e Munique, ainda é muito nova. A empresa foi fundada em 2016 por Anton Piëch e Rea Stark Rajcic, emprega cerca de 20 pessoas, e também colabora com renomados parceiros externos. No total, cerca de 200 pessoas estão envolvidas neste projeto. Agora eles apresentam seu primeiro filhote, um carro esportivo elétrico, no Salão de Genebra.
Seu carro foi parar na capa da revista oficial do show de automóveis. O carro esportivo, coberto por uma bandeira suíça e ladeado pelos dois construtores, traz orgulhosamente o carimbo de “Swiss Made”. O Salão de Genebra acontece entre 7 a 17 de março, no Palexpo, perto do aeroporto.

Flexível

A Piëch anunciou que o Mark Zero, com dois assentos, deve pesar menos de 1,8 mil quilos e possui uma autonomia de 500 quilômetros com uma única carga. A ideia por trás do carro esportivo suíço, no entanto, não o limita apenas à propulsão elétrica. Os construtores prometem que o carro irá fornecer uma plataforma para todos os tipos de propulsão, como híbrido, célula combustível – ou mesmo gasolina.

De acordo com a revista do Autosalão, a plataforma será posteriormente oferecida a desenvolvedores externos e fabricantes de automóveis.

A questão da Condução Autônoma, na outra ponta, que é um grande problema para o Tesla, não é uma preocupação do momento para os pais do Mark Zero. É fato que a arquitetura do veículo foi também projetada para uma condução autônoma, “mas para futuros modelos”, conforme explicou o co-fundador da Piëch Stark Rajcic para a revista alemã “Auto, Motor und Sport”.

Conjunto

Outra marca que investe pesado no uso da energia limpa em seus modelos, a Jeep revelou no Salão de Genebra deste ano a configuração híbrida plug-in para Renegade e Compass, as opções híbridas que ainda não tem previsão para chegada ao Brasil.

Ambos modelos utilizam o novo conjunto híbrido da Jeep, que consiste no motor 1.3 turbo a gasolina (versão turbo do motor 1.3 Firefly nacional – aguardado no Brasil) trabalhando em conjunto com um motor elétrico.

O motor a combustão traciona as rodas dianteiras, enquanto o elétrico, as traseiras, formando um conjunto de tração integral eletrificado. Combinados, os motores é capaz de gerar 190 cv e 240 cv, respectivamente no Renegade e Compass. Ambos vão de 0 a 100 km/h em aproximadamente 7 segundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *