Samsung adia eventos do Galaxy Fold para a imprensa na China

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 22 de abril de 2019 as 11:41, por: CdB

A Samsung informou ter recebido alguns relatos de danos nas telas das amostras do aparelho de US$ 1.980.

Por Redação, com Reuters – de Seul/Pequim/Xangai

A fabricante de smartphones, Samsung, adiou eventos para a mídia do Galaxy Fold previstos para esta semana em Hong Kong e Xangai, disse um funcionário da empresa, dias após jornalistas que receberam o aparelho dobrável relatarem defeitos nas unidades.

A fabricante de smartphones, Samsung, adiou eventos para a mídia do Galaxy Fold

O funcionário não explicou as razões da empresa ou informou para quando os eventos foram reagendados.

Em vez de elogios antes do lançamento do Fold em 26 de abril nos Estados Unidos, o conglomerado sul-coreano foi atingido por jornalistas de tecnologia que relataram defeitos, protuberâncias e telas piscando depois de usarem unidades do modelo por apenas um dia.

A Samsung informou ter recebido alguns relatos de danos nas telas das amostras do aparelho de US$ 1.980.

Os relatos dos jornalistas sobre as telas viralizaram online e provocaram a criação da hashtag #foldgate no Twitter.

O representante da Samsung afirmou nesta segunda-feira que a empresa está investigando detalhadamente os relatos de defeitos, conforme anunciado anteriormente, e se recusou a comentar se haveria alguma alteração na data de lançamento do aparelho nos Estados Unidos.

A empresa planeja começar as vendas na Coreia do Sul e na Europa em maio.

Redes 5G

A Huawei, lançou nesta segunda-feira o que considera ser o primeiro equipamento de comunicações 5G do mundo para a indústria automotiva, em um sinal de suas crescentes ambições de se tornar uma fornecedora importante para veículos autônomos.

A Huawei informou em comunicado que o chamado módulo MH5000 é baseado no chip Balong 5000 5G que foi lançado em janeiro. “Com base neste chip, a Huawei desenvolveu o primeiro módulo de carro 5G do mundo com alta velocidade e alta qualidade”, disse.

A companhia lançou o módulo na feira do automóvel de Xangai, que começou na semana passada e vai até quinta-feira. A empresa disse que o módulo ajudará seus planos para começar a comercializar tecnologia de redes 5G para o setor automotivo no segundo semestre deste ano.

Nos últimos anos, a Huawei tem testado tecnologias para carros inteligentes conectados, em cidades chinesas como Xangai, Shenzhen e Wuxi e assinou acordos de cooperação com uma série de fabricantes de automóveis, incluindo a FAW, Dongfeng e Changan.

A empresa, que também é a maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo, está se esforçando para liderar a corrida global por redes 5G de próxima geração, mas está sob alvo de acusações do governo dos Estados Unidos, que alega que seus produtos poderiam ser usados para espionagem por Pequim. A Huawei tem negado repetidamente as acusações.

Tesla investiga vídeo de Model S

A fabricante norte-americana de veículos elétricos Tesla informou que enviou uma equipe para investigar um vídeo em mídias sociais chinesas que mostra um carro da companhia, o Model S, estacionado explodindo, o mais recente em uma série de incidentes de incêndios envolvendo os carros da Tesla.

O vídeo, marcado como gravado no domingo e amplamente divulgado no Weibo, mostra o veículo elétrico estacionado emitindo fumaça e explodindo em chamas segundos depois. Um vídeo, supostamente das consequências da explosão, mostra uma fila de três carros completamente destruídos.

À agência inglesa de notícias Reuters não conseguiu verificar imediatamente as origens dos vídeos, que os usuários do Weibo disseram ter sido gravados em Xangai.

A causa da explosão não pôde ser imediatamente verificada nos vídeos.

– Imediatamente enviamos uma equipe para o local e estamos apoiando as autoridades locais para estabelecer os fatos. Pelo que sabemos agora, ninguém foi ferido – disse a Tesla em um comunicado divulgado nesta segunda-feira.

A Tesla se recusou a fazer mais comentários quando contactada pela Reuters.

Houve pelo menos 14 casos envolvendo carros da Tesla pegando fogo desde 2013, sendo que a maioria ocorreu após acidentes.

A montadora informou que seus veículos são cerca de 10 vezes menos propensos a pegar fogo do que os carros movidos a gasolina, com base em sua frota de mais de 500 mil veículos que percorreram mais de 10 bilhões de quilômetros. Mas não especificou se a estatística se referia ao uso normal ou envolvendo acidentes.

A montadora atualmente importa todos os carros que vende na China, mas está construindo uma fábrica em Xangai que inicialmente fabricará seu Model 3 e ajudará a reduzir o impacto de uma guerra comercial entre EUA-China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *