Samsung transfere produção de smartphones para o Vietnã

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 6 de março de 2020 as 10:24, por: CdB

A Samsung Electronics disse nesta sexta-feira que transferirá temporariamente parte da produção de smartphones da Coreia do Sul para o Vietnã.

Por Redação, com Reuters – de Seul/Helsinque/Paris 

A Samsung Electronics disse nesta sexta-feira que transferirá temporariamente parte da produção de smartphones da Coreia do Sul para o Vietnã, depois que outro funcionário coreano testou positivo para o coronavírus, forçando-a a fechar uma fábrica.

Samsung transfere produção de smartphones para o Vietnã devido a coronavírus
Samsung transfere produção de smartphones para o Vietnã devido a coronavírus

Uma porta-voz da empresa disse que o grupo suspendeu as operações em sua fábrica na cidade de Gumi, no sul da Coreia do Sul, depois que um trabalhador testou positivo para o vírus.

Produção

A fábrica, que produz smartphones premium da Samsung, como o S20 e o dobrável Z Flip, retomará a produção no sábado, disse a porta-voz.

Desde o final de fevereiro, seis funcionários da empresa foram confirmados com o vírus no complexo fabril de Gumi, perto da cidade de Daegu, o epicentro do surto na Coreia do Sul, levando a fechamentos temporários anteriores na fábrica.

A medida para transferir a produção de “alguns smartphones premium” para o Vietnã “pretende fornecer produtos aos consumidores de maneira mais eficaz, estável e oportuna”, afirmou a Samsung em comunicado.

– Depois que a situação do Covid-19 se estabilizar, planejamos voltar a produção para Gumi – afirmou.

A Samsung já transferiu grande parte de sua produção de smartphones para o Vietnã na última década, onde produz mais de 50% de seus telefones e até agora tem visto poucas paralisações na produção. Sua fábrica de Gumi compõe uma pequena parte de sua produção total.

Nokia anuncia parceria com Intel

A Nokia firmou uma parceria com a Intel para acelerar a sua, até o momento lenta, transição para o 5G, informou a empresa na quinta-feira, um dia após anunciar um acordo semelhante com a Marvell Technology.

A Nokia tem enfrentado dificuldades com o desenvolvimento mais lento do que o esperado do seu sistema Reefshark em chips (SoC), que permite que um único chip carregue um sistema de computador inteiro, permitindo que a Nokia produza equipamentos mais baratos.

“A Nokia está trabalhando com vários parceiros para apoiar sua família de chipsets ReefShark, que são usados em muitos equipamentos de estações de base”, afirmou a empresa finlandesa.

Huawei

A Huawei construirá uma fábrica na França, independentemente de uma eventual decisão do governo francês sobre a utilização de seus produtos na rede 5G do país, disse um executivo da gigante chinesa de telecomunicações.

A maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo disse na semana passada que planeja construir uma fábrica na França para atenuar as preocupações mundiais alimentadas pelas acusações dos Estados Unidos de que Pequim usa os equipamentos da empresa para espionagem.

– A fábrica será construída na França, independentemente da decisão do governo francês, pois faz parte da nossa estratégia – disse o vice-presidente executivo da Huawei France, Minggang Zhang, à agência inglesa de notícias Reuters.

A Huawei informou na semana passada que investirá 200 milhões de euros na primeira fase da instalação da fábrica de estações rádio base, cuja localização exata ainda não foi anunciada.

O ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, disse na quarta-feira que a construção de uma fábrica da Huawei não influenciará a posição do governo sobre as três principais fabricantes de equipamentos 5G.

No papel, a Huawei e seus dois rivais europeus, Nokia e Ericsson, estão autorizados a fazer negócios na França. Mas fontes próximas à indústria francesa de telecomunicações dizem que temem que a Huawei seja barrada, mesmo que não haja proibição formal.

Questionado se o projeto da Huawei de construir a fábrica e criar 500 empregos poderia ser usado para comprar a boa vontade do governo francês no próximo leilão 5G, Le Maire disse: “Ninguém, e certamente eu não, cederia a qualquer chantagem.”

– A posição adotada no 5G é muito clara. Não discriminaremos nenhuma empresa, nem chinesa nem norte-americana. Estamos simplesmente cuidando de nossos interesses estratégicos e de segurança – acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *