Sanções da UE contra Rússia ainda não são suficientes, diz Ucrânia

Arquivado em: Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 31 de maio de 2022 as 11:24, por: CdB

Nas represálias mais duras do bloco contra Moscou, desde a invasão da Ucrânia, uma cúpula da UE em Bruxelas concordou, com a imposição de medidas que, segundo as autoridades, cortariam imediatamente mais de dois terços das importações de petróleo da Rússia.

Por Redação, com Reuters e ABr – de Kiev

As últimas sanções da União Europeia (UE) contra a Rússia, que proíbem a maioria das importações de petróleo russo, “não são suficientes”, disse Ihor Zhovkva, subchefe do gabinete do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, em discurso em Madri. Para ele, o ritmo das sanções até agora tem sido muito lento.

Ucrânia diz que sanções da UE contra Rússia ainda são insuficientes

Nas represálias mais duras do bloco contra Moscou, desde a invasão da Ucrânia há três meses, uma cúpula da UE em Bruxelas concordou, na segunda-feira, com a imposição de medidas que, segundo as autoridades, cortariam imediatamente mais de dois terços das importações de petróleo da Rússia, e 90% até o fim do ano.

– Se você me perguntar, eu diria muito lento, muito tarde e definitivamente não o suficiente – afirmou Zhovkva.

A Ucrânia também não está satisfeita com o ritmo de entrega de armas do Ocidente, acrescentou

– Definitivamente não estamos satisfeitos – disse Zhovkva em resposta a uma pergunta após seu discurso.

– Se estivéssemos satisfeitos, teríamos iniciado imediatamente a libertação de Mariupol e jogado fora as forças russas de Donbas. Nós acreditamos em promessas.

Presidente ucraniano visita frente de batalha em Kharkiv

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, esteve em Kharkiv, no leste do país, no domingo, onde se encontrou com tropas. Ele viu de perto a destruição de grande parte do território e distinguiu vários militares.

Horas depois da visita, foram ouvidas explosões na segunda maior cidade ucraniana.

Foi a primeira saída do líder ucraniano da capital, desde o início do conflito, há 95 dias. Zelensky foi agradecer aos soldados a forma como têm defendido a cidade.

A visita do presidente a Kharkiv é importante pelo simbolismo, diante da volatilidade da situação nos arredores da cidade. A enviada especial da RTP a Kiev, Cândida Pinto, disse que um bairro que esteve na linha da frente ainda não está desminado.

Zelenskiy comentou a necessidade de reconstruir a cidade de Kharkiv.

Um jornalista ucraniano em Kherson informou à RTP que a Rússia abandonou a intenção de fazer um referendo antes de anexar o território.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code