São Paulo diz que há incorreções no projeto olímpico do Rio

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 4 de julho de 2003 as 03:28, por: CdB

Pela primeira vez desde o início de seus trabalhos, o comitê de postulação de São Paulo aos Jogos-2012 abandonou publicamente sua postura pacifista e apontou diversas incorreções no dossiê de candidatura carioca.

Ao ser questionada sobre o que provocou a mudança de postura –mesmo depois de ser “alfinetado” pelo Rio, São Paulo nunca abandonou a sua postura pacífica, a prefeita Marta Suplicy afirmou “tomar conhecimento da má qualidade do dossiê deles”.

Na próxima segunda, no Rio, a assembléia do COB indica, entre os dois municípios, o representante brasileiro que seguirá na disputa pela Olimpíada de 2012. A decisão final do Comitê Olímpico Internacional acontece em 2005.

As falhas no documento do Rio apontadas por São Paulo iriam desde informações técnicas incorretas referentes às disputas esportivas e infra-estrutura até distorção de escala em gráficos.

O repetido discurso carioca de que o Rio tem sua beleza natural também foi ironizado com um “isso não é concurso de beleza”.

A assessoria de imprensa da secretaria de Esporte e Lazer do Rio afirmou nesta quinta que o secretário Ruy Cézar não se pronunciaria sobre as críticas de São Paulo.

Porém a assessoria questionou se as declarações paulistas não seriam um desrespeito ao trabalho do comitê de avaliação que produziu relatório sobre as duas cidades, distribuído aos 34 membros votantes da assembléia do COB.

O dossiê carioca foi classificado pela secretária de Esporte de São Paulo, Nádia Campeão, como uma “cópia mal feita” do documento feito pelo Rio em sua campanha para a Olimpíada de 2004, foi eliminado logo na primeira etapa da disputa.

– Há diversas citações de 2004 como prazo no dossiê carioca. Eles poderiam ao menos ter atualizado o dossiê – disse Campeão, que também mostrou problemas técnicos.

– Há o caso do hóquei na grama e do futebol, que, segundo o dossiê carioca, aconteceriam no mesmo lugar, embora os locais de competição dessas modalidades tenham características diferentes. Também há competições distintas marcadas para o mesmo local, no mesmo dia e horário – concluiu a secretária.

O secretário de planejamento urbano, Jorge Wilheim, acusou o dossiê do Rio de informar incorretamente distâncias e tempos de percurso entre alguns locais.

– Arquitetos nos informaram que há erros de escala no gráfico que mostra a distância entre a Vila Olímpica e diversos locais de competição – explicou Wilheim.

Segundo o comitê paulista, a distância entre a Vila Olímpica e a praia de Copacabana aparece no dossiê do Rio como medindo 8 km. Segundo a medição paulista, porém, esta seria de 22 km.

Após a coletiva, nesta quinta, uma cópia do dossiê carioca foi colocada em uma bancada para que a imprensa a examinasse. Em nenhum momento o Rio disponibilizou cópias de seu documento.

São Paulo já havia distribuído seu dossiê e teria enviado cópia ao comitê de postulação carioca, sem ter recebido o deles em troca.

A prefeita descreveu o documento carioca como “um dossiê de quinta categoria”. Quando Wilheim afirmou que talvez as explicações desta quinta não influenciassem os eleitores do COB, mas que seria importante que todos tomassem conhecimento, ela discordou. “Tem de influenciar, sim. Que vergonha!”, disse Marta.

Além de São Paulo e Rio, também concorrem aos Jogos-2012 Londres, Paris, Nova York, Moscou, Leipzig, Istambul e Havana.