Secretaria de Saúde lança campanha para combater o Aedes aegypti

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 21 de novembro de 2018 as 12:26, por: CdB

O verão começa em 21 de dezembro e a campanha se antecipa à data, com a finalidade de alertar a população em relação às medidas de prevenção e controle.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

A Secretaria de Saúde lança campanha para o combate ao mosquito Aedes aegypti no Estado. A campanha publicitária, que está sendo veiculada em rádios, TVs e veículos online, tem o objetivo de mobilizar toda a sociedade, mas principalmente o público infantil, por meio do personagem Dezinho.

Objetivo é mobilizar a população a adotar medidas simples em casa

– As crianças são grandes multiplicadoras, por isso, o Dezinho é um grande aliado no combate ao Aedes. Meninos e meninas aprendem com ele e levam a mensagem do quanto é importante acabar com a água parada dentro de casa, já que 80% dos focos do mosquito são detectados em imóveis residenciais – explicou o secretário de Saúde, Sérgio Gama.

O verão começa em 21 de dezembro e a campanha se antecipa à data, com a finalidade de alertar a população em relação às medidas de prevenção e controle. Materiais para imprimir – como panfletos e um jogo dos 10 erros – e adesivos Morador Nota 10 para serem colados nas residências durante visitas dos agentes da Vigilância Sanitária estão disponíveis com licença Creative Commons (sem limitações de direitos autorais) no site (www.riocontraoaedes.com.br).

Além do material disponível no site, também estão livres para download tirinhas em quadrinhos com as aventuras do Dezinho e sua família, GIFs animadas e vídeos, para postar nas redes sociais e compartilhar pelo Whatsapp. Tudo com dicas de como combater o mosquito no dia a dia. Um boneco de espuma representando o personagem também vai percorrer os municípios do Estado do Rio de Janeiro nas ações de prevenção à dengue, zika e chikungunya.

Em 2018, no período de janeiro a 13 de novembro, a Secretaria de Saúde registrou 36.102 casos de chikungunya , com 16 óbitos. A dengue apresentou 13.886 notificações e 2 óbitos. Já a zika, no mesmo período, teve 2.223 casos, sem registro de morte.

Apenas 10 minutos por semana é tempo suficiente para que uma pessoa olhe todos os possíveis focos do mosquito nas residências. A vistoria deve acontecer em caixas d’água, tonéis, vasos de plantas, calhas, garrafas, lixo e bandejas de ar-condicionado. Com essas medidas de prevenção, é possível evitar a proliferação do Aedes aegypti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *