Segunda fase da campanha de vacinação contra gripe começa em SP

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado quinta-feira, 16 de abril de 2020 as 13:12, por: CdB

Começou nesta quinta-feira, em todo o Estado de São Paulo, a segunda etapa da campanha de vacinação contra a gripe, obedecendo a calendário nacional. Desta vez, o público-alvo são agentes de segurança e salvamento e pessoas com doenças crônicas, comorbidades e outras condições clínicas especiais.

Por Redação, com ABr – de São Paulo/Brasília

Começou nesta quinta-feira, em todo o Estado de São Paulo, a segunda etapa da campanha de vacinação contra a gripe, obedecendo a calendário nacional. Desta vez, o público-alvo são agentes de segurança e salvamento e pessoas com doenças crônicas, comorbidades e outras condições clínicas especiais.

Caminhoneiros estão incluídos nesta etapa
Caminhoneiros estão incluídos nesta etapa

Também estão contemplados nessa fase caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo e portuários, categoria que reúne, segundo o Ministério da Saúde, 700 mil profissionais no Brasil e que foi priorizada pela pasta, por atuar com serviços essenciais durante a pandemia de covid-19. Mesmo não residindo em São Paulo, esses profissionais poderão buscar a vacina em qualquer unidade da rede de saúde do estado, por decisão do governo federal.

O ministério também informou, nesta terça-feira (14), que os povos indígenas tiveram a vacinação antecipada para a etapa atual. O motivo é a maior vulnerabilidade que apresentam quanto às complicações da gripe, capazes de fazê-los adoecer mais gravemente.

Quando um paciente com gripe apresenta sintomas graves, caracteriza-se o quadro chamado de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), de notificação obrigatória no país. Segundo o governo estadual de São Paulo, foram registrados 1,6 mil casos de SRAG no estado, em 2019, além de 284 óbitos.

De acordo com informações do governo estadual de São Paulo, divulgadas na segunda-feira, a meta de imunização entre idosos com idade acima de 60 anos foi atingida integralmente. No Estado, a cobertura vacinal desse grupo foi de 100%, superando a proporção nacional, de 90,66%. Foram vacinados, ainda, 1 milhão de profissionais da saúde e 67 mil agentes da área de segurança.

A campanha segue até o dia 22 de maio e deve ser encerrada com a imunização de 90% de cada um dos grupos, no mínimo, conforme expectativa do governo federal. A terceira etapa tem início no dia 9 de maio e é direcionada pessoas com deficiência, professores, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto e pessoas com idade entre 55 e 59 anos.

Sobre a vacina

A vacina é composta por vírus inativado e protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). As doses estão sendo aplicadas em cerca de 11,5 mil locais fixos e móveis, incluindo unidades de saúde, escolas, creches, farmácias, barcos, ônibus e veículos. Quem se vacina na capital pode acessar um sistema de busca disponibilizado pela prefeitura, para encontrar mais facilmente o endereço mais próximo da residência onde mora.

Em nota, o governo estadual destaca que a vacina contra a gripe não protege contra o novo coronavírus, mas que a imunização é fundamental para que se reduza o número de pessoas com sintomas respiratórios nos próximos meses.

O Instituto Butantan, que produz as vacinas contra gripe, abriu um canal de comunicação exclusivo e gratuito, por meio do qual esclarece dúvidas da população, inclusive quanto a eventuais reações às doses. Se algo inesperado aconteceu depois da aplicação, é possível enviar um e-mail  para esclarecimento. O relato deve conter nome completo, telefone ou e-mail para contato.

Caminhoneiros

Os caminhoneiros e trabalhadores portuários de todo o Brasil podem, a partir desta quinta-feira, procurar os postos de saúde, em qualquer município, para receberem a vacina contra a gripe, independentemente do estado onde residam. Esses profissionais estão no grupo prioritário na segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza.

As duas categorias se juntam aos motoristas de transportes coletivos e ao grupo prioritário que também contempla doentes crônicos e profissionais das forças de segurança e salvamento. Ao todo, serão distribuídas 2 milhões de doses. A vacinação contra a influenza foi antecipada este ano, de abril para março.

A antecipação da data foi determinada pelo Ministério da Saúde em atendimento à reivindicação do Ministério da Infraestrutura, no fim de março, para incluir nos grupos prioritários os profissionais que atuam em atividades essenciais, como os caminhoneiros e os portuários,  ou em ações de prevenção e combate à pandemia do novo ao covid-19.

– É nosso dever garantir essas condições e dar segurança para todos que estão nas estradas. Os profissionais de transporte terão esse suporte porque o governo federal está garantindo esse conforto a mais aos trabalhadores que estão prestando um grande serviço ao nosso país, tão importantes para nós, especialmente, neste momento – disse ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Segundo o ministério, a vacina não age contra a covid-19, mas protege contra os três tipos de gripe mais comuns registradas no Hemisfério Sul no ano passado: influenza A (H1N1), influenza B e Influenza A (H3N2), auxiliando os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico do coronavírus, já que os sintomas são semelhantes aos da gripe.

O prazo de vacinação para caminhoneiros e portuários é até o dia 9 de maio, quando terá início a 3ª fase da campanha de vacinação. Para se vacinar, o caminhoneiro deverá apresentar um documento de comprovação da sua atuação, que pode ser: carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio (a) do sindicato de transportes (categoria de motorista), carteira de habilitação (para motoristas das categorias C ou E) ou crachá funcional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *