Segurança russa prende 55 supostos terroristas em Moscou

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 9 de junho de 2003 as 15:03, por: CdB

O serviço federal de segurança russo (FSB, ex-KGB) prendeu na última sexta-feira, em Moscou, 55 pessoas suspeitas de serem partidárias ou membros do Partido da Libertação Islâmica (Hizbi Tahrir), disse um porta-voz do FSB.

As pessoas presas são estrangeiros que residem de forma ilegal na Rússia, entre eles um cidadão do Quirguistão e outro do Tadjiquistão, acrescentou o porta-voz, que pediu anonimato.

Segundo o porta-voz, eles estavam escondidos no terreno de uma fábrica de Moscou, e as prisões na capital se inscrevem no âmbito de uma ampla operação em toda a Rússia.

Prisões

Um quirguiz, Alicher Musaiev, é acusado de ser o chefe da célula desmantelada de Hizbi Tahrir.

Cem gramas de explosivos, três granadas e 15 panfletos do Partido da Libertação Islâmica foram achados em sua posse no momento da prisão, segundo a mesma fonte.

Outro suposto militante islâmico é um tadjique, Akram Yalolov, que foi detido com 400 gramas de TNT, dois detonadores, 38 panfletos e dois folhetos de Hizbi Tahrir, disse o FSB.

O partido fundamentalista Hizbi Tahrir, fundado no Oriente Médio nos anos 50, instalou-se há dez anos na Ásia Central e tem vínculos estreitos com o regime dos talebans no Afeganistão, derrubado em 2001. Com milhares de membros, é um dos movimentos islâmicos clandestinos mais ativos da Ásia central, onde quer criar um “califado” (Estado islâmico).