Seis generais cubanos morrem em 10 dias sem causas reveladas

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 29 de julho de 2021 as 10:34, por: CdB

Na noite de quarta-feira, a televisão estatal do país informou sobre a morte de Gilberto Antonio Cardero Sánchez, citando o Ministério das Forças Armadas de Cuba. Sánchez foi combatente da luta clandestina cubana em maio de 1957 e posteriormente entrou no exército rebelde sob a liderança de Fidel Castro.

Por Redação, com Sputnik – de Havana

Na noite de quarta-feira, a televisão estatal do país informou sobre a morte de Gilberto Antonio Cardero Sánchez, citando o Ministério das Forças Armadas de Cuba. Sánchez foi combatente da luta clandestina cubana em maio de 1957 e posteriormente entrou no exército rebelde sob a liderança de Fidel Castro.

Seis generais cubanos de alto nível morrem em 10 dias sem causas reveladas

Seis generais cubanos de alto nível, sobretudo idosos, morreram durante os últimos dez dias. Não foi revelado se as mortes dos oficiais generais estão relacionadas ao coronavírus.

A morte de Sánchez aconteceu após o falecimento de outros cinco generais cubanos ocorrido durante os últimos dez dias. As causas das mortes não foram divulgadas.

Em 17 de julho faleceu Agustín Peña Porres, ex-comandante do Exército Ocidental e membro do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba. Peña foi o mais jovem dos generais e tinha 57 anos, segundo o jornal Semana. Em 20 de julho, morreu Marcelo Verdecia Perdomo, general-de-brigada da Reserva do Exército e ex-guarda-costas de Fidel Castro.

No sábado passado, foi anunciada a morte do general Rubén Martínez Puente de 79 anos, que estava na Reserva do Exército cubano e era uma figura polêmica. Martínez foi o general que deu a ordem de abater um avião civil pertencente ao grupo exilado cubano Irmãos ao Resgate em 1996, o que agravou as tensões com os Estados Unidos.

Na segunda-feira, morreu Manuel Eduardo Lastres Pacheco, ex-general que serviu sob comando do argentino Che Guevara durante a revolução no final dos anos 1950. Lastres mais tarde serviu como comandante do Exército Oriental cubano.

O último a morrer

O último a morrer foi o general-de-brigada Armando Choy Rodríguez, de 87 anos, na terça-feira, cuja morte foi anunciada pela Universidade Central Marta Abreu. Rodríguez foi um dos fundadores do Movimento 26 de Julho que liderou a revolução cubana.

De acordo com o jornal Periódico Cubano, as mortes ocorreram depois da do general-de-brigada Ivan Duponte Cabrales, que faleceu em maio aos 77 anos.

O governo do presidente Miguel Díaz-Canel não confirmou se as mortes dos oficiais de alto nível estão relacionadas à covid-19. Cuba bate recordes de casos e mortes por coronavírus há várias semanas.

Ao mesmo tempo, os cubanos exilados em todo o mundo continuam protestando contra o governo por melhores condições sociais e econômicas. No fim de semana passado, centenas de manifestantes cubano-americanos se reuniram em frente à Casa Branca em Washington para pressionar o presidente Joe Biden a tomar medidas mais severas contra o governo de Cuba.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code