Sem uma base aliada, governo fica mais frágil no Parlamento

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 23 de maio de 2019 as 14:21, por: CdB

A bancada do PSL na Câmara usou a tensa sessão da noite passada para desautorizar a atuação do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM).

 

Por Redação – de Brasília

 

A votação da medida provisória da reestruturação do governo expôs de forma explícita o racha na articulação política da gestão de Jair Bolsonaro (PSL) e colocou novamente em risco a validade da proposta que, entre outros pontos, reduz de 29 para 22 o número de ministérios e que precisa ser aprovada no Congresso até o próximo dia 3. Caso contrário, perde a validade.

Indicado à Casa Civil, Onyx Lorenzoni adiantou que o Ministério do Trabalho será extinto
Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni tem atuado como articulador político do governo na Câmara, sem sucesso

A bancada do PSL na Câmara usou a tensa sessão desta quarta-feira para desautorizar a atuação do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM). Com ajuda de siglas como Novo e Podemos, os deputados do partido de Bolsonaro atuaram para derrubar no plenário um acordo construído pelo ministro com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

A reportagem ainda informa que horas antes de a medida que define o desenho da Esplanada dos Ministérios começar a ser votada, Lorenzoni se reuniu com Maia e Alcolumbre na presidência do Senado. Na saída do encontro, disse que o Planalto estava atuando para “ajustar” a relação com o Congresso, após uma série de embates.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *