Senador nega que tenha estuprado modelo em quarto de hotel paulistano

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de novembro de 2020 as 17:20, por: CdB

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado no 14º Distrito Policial de Pinheiros e vazado para a mídia conservadora, o senador teria cometido um estupro na madrugada passada. A vítima afirmou que conheceu o senador Silvestre durante um almoço.

Por Redação – de São Paulo

O senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), em nota distribuída na manhã desta terça-feira, negou que tenha cometido o crime de estupro a uma modelo, no quarto de um hotel na capital paulista. Segundo o parlamentar, filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO), “foi com surpresa, decepção, tristeza e indignação que tomei conhecimento do episódio infame, maldoso e traiçoeiro envolvendo a minha vida e minha dignidade”.

O senador Irajá Abreu (PSD-TO) foi denunciado por suposto estupro a uma modelo, na capital paulista
O senador Irajá Abreu (PSD-TO) foi denunciado por suposto estupro a uma modelo, na capital paulista

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado no 14º Distrito Policial de Pinheiros e vazado para a mídia conservadora, o senador teria cometido um estupro na madrugada passada. A vítima, que teve o nome preservado, afirmou aos policiais que conheceu o senador Silvestre em um almoço com um grupo de amigas, no domingo.

Ato sexual

De acordo com a alegada vítima, ela o teria acompanhado em seguida a uma casa noturna com mais um amigo dele, foi dopada, perdeu a consciência e acordou em um flat, no Itaim Bibi, já durante o ato sexual.

A mulher relatou à polícia que teve medo e, somente por isso, não resistiu durante o ato sexual, mas pediu em seguida, insistentemente, para ir ao banheiro e beber água. Quando conseguiu chegar ao banheiro, disse que estava passando mal, trancou-se e começou a pedir socorro.

— Ela mandou mensagem para mim, na madrugada, para a mãe dela, para os amigos. Essa amiga foi até o hotel e mandava mensagem para esse senador e ele falava que estava sozinho no hotel, que ela não estava com ele. Aí, o pessoal da recepção subiu. Ela estava completamente transtornada — disse um amigo dela, a jornalistas.

Parlamentar nega

O interlocutor também relatou funcionários do hotel foram à delegacia para depor como testemunhas e que a polícia foi até o hotel e não encontrou o parlamentar. A polícia já trabalha na busca por imagens de câmeras de segurança da casa noturna e do hotel. O quarto do hotel foi preservado para exame pericial.

Em nota, o senador negou a denúncia e reafirmou que “foi com surpresa, decepção, tristeza e indignação que tomei conhecimento do episódio infame, maldoso e traiçoeiro envolvendo a minha vida e minha dignidade”.

Ele ressaltou que compareceu espontaneamente à delegacia responsável pela apuração dos fatos e pediu para ser submetido, voluntariamente, a exame de corpo de delito e toxicológico. Segundo ele, as filmagens, demais provas e testemunhas “hão de repor a verdade no seu devido lugar e vir a declarar minha total e plena inocência”.