Separatistas catalães bloqueiam rodovias durante visita de premiê espanhol

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 21 de dezembro de 2018 as 11:49, por: CdB

efensores da separação da rica região espanhola de 7,5 milhões de habitantes se sentaram em rodovias desde antes do amanhecer, montando barricadas de pneus e lixo. A polícia retirou dezenas de manifestantes dos locais e prendeu sete pessoas.

Por Redação, com Reuters – de Barcelona

Separatistas catalães bloquearam estradas e protestaram nesta sexta-feira, à medida que o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, levou uma reunião ministerial à capital da Catalunha, Barcelona, em uma demonstração de poder central assim como uma tentativa de negociação.

Protesto durante visita de premiê espanhol, Pedro Sánchez, à Barcelona

Defensores da separação da rica região espanhola de 7,5 milhões de habitantes se sentaram em rodovias desde antes do amanhecer, montando barricadas de pneus e lixo. A polícia retirou dezenas de manifestantes dos locais e prendeu sete pessoas.

Um homem foi preso no centro de Barcelona com materiais que poderiam ser usados para fabricar um artefato explosivo, informou a força policial da região de Mossos no Twitter. Cerca de 40 estradas foram afetadas pelos protestos, reportou a mídia local.

Referendo ilegal

Mais de um ano após realização de um referendo ilegal sobre a separação da região do restante da Espanha, a Catalunha continua muito dividida.

A escolha de Sánchez para o local da reunião foi uma demonstração de determinação contra a independência e parte de uma estratégia para garantir a sobrevivência de seu governo de minoria com a ajuda de partidos catalães secessionistas oferecendo-lhes um pouco mais de autonomia.

Centenas de manifestantes se reuniram em frente ao edifício do século IV no centro histórico de Barcelona onde a reunião de gabinete semanal estava acontecendo.

Na noite de quinta-feira, Sánchez se encontrou com o chefe de governo regional pró-independência da Catalunha, Quim Torra. Eles concordaram em manter um diálogo mais profundo e buscar uma solução política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *