“Ser ministro é como ser pai”, diz Gil

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 8 de maio de 2003 as 14:48, por: CdB

O cantor e ministro da Cultura do Brasil, Gilberto Gil, que cumpre nesta quinta-feira, seu segundo dia em visita oficial ao Chile, antecipou um frutífero intercâmbio cultural entre os dois países e declarou que ser ministro é “como ser pai”.

– Há um grande universo de coisas entre ambos os países que não se conhece. Ficaria feliz que no Chile soubessem do patrimônio de povos nativos, de filmes e livros que temos em nosso país -, disse Gil aos jornalistas na noite da última quarta-feira.

– Nós os brasileiros também estamos interessados em nos informar de todo o trabalho cultural realizado aqui -, acrescentou o ministro.

O Chile foi o primeiro país a ser visitado pelo ministro da Cultura, cargo que sumiu em janeiro passado.

– Aceitei ser ministro para servir ao presidente Lula, porque acho que ele quer fazer algo novo. Além disso, já tenho 60 anos e posso apresentar algo um pouco mais idealista – desabafou.

– Isto foi como ser pai. Nascemos, somos crianças e um dia chegamos na condição de adultos. Estar no ministério é um pouco a continuação disso, ser pai -, sustentou ao explicar que agora tem “uma grande família cultural no Brasil que precisa de cuidado”.

O ministro se referia a Luis Gushiken, ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência, que foi objeto de fortes críticas de parte do mundo artístico brasileiro pelos anúncios de dirigismo cultural e concentração de recursos.

A respeito do assunto, Gil afirmou que o Ministério da Cultura “não está de acordo com isto”, e que já conversou com o presidente Lula, os cineastas e o próprio Gushiken.

– Acho que agora está claro que será o próprio Ministério da Cultura que proporá as políticas, as sugestões de caminhos a seguir, em diálogo constante, permanente com o povo -, afirmou.

Gilberto Gil, que chegou na última terça-feira (6) ao Chile, combinou uma apertada agenda oficial com um show em homenagem ao jamaicano Bob Marley, que acontecerá na próxima sexta-feira, no Centro Cultural Estação Mapocho.

Em seu primeiro dia de atividades no Chile, Gilberto Gil manteve uma reunião de trabalho com as autoridades chilenas de Cultura, depois visitou a casa-museu do poeta Pablo Neruda, na Ilha Negra, 110 quilômetros a sudoeste de Santiago.

O ministro brasileiro tem previsto para esta quinta-feira uma visita a um bairro popular de Santiago, uma reunião com o presidente Ricardo Lagos e a assinatura de um protocolo de cooperação cultural entre os dois países.