Série de bombas assusta cúpula internacional na Tailândia

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 2 de agosto de 2019 as 10:39, por: CdB

 

Pelo menos quatro ficaram feridos. Seis artefatos caseiros de pouca potência são detonados em Bangcoc, onde ocorre reunião com presença de chefes da diplomacia de EUA, UE e China.

Por Redação, com DW – de Bangcoc

Pelo menos quatro pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira depois que seis bombas caseiras de pouca potência foram detonadas em Bangcoc, onde acontece o encontro de ministros do Exterior da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), incluindo representantes de primeiro escalão dos Estados Unidos, China e União Europeia.

Polícia de Bangcoc interdita parcialmente via onde bomba explodiu

Segundo a polícia, duas pessoas ficaram feridas pela manhã na explosão de um artefato caseiro na avenida Rama 9, no centro da capital tailandesa, que os policiais relacionaram com um possível confronto entre grupos de estudantes.

Outras duas foram feridas na estação de trem de Chong Nonsi e num estacionamento próximo, também na área central.

Três dos quatro feridos são mulheres que faziam limpeza no momento das explosões, ocorridas momentos antes da conferência do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, no âmbito da reunião da Asean a que está também presente o chefe da diplomacia chinesa, Wang Yi.

Outras bombas

Cerca de duas horas antes, outras bombas de fraca potência explodiram no complexo governamental de Chaeng Wattana, sede de vários ministérios, sem causar feridos, segundo as investigações iniciais.

– Quero condenar aqueles que causam essa situação que destrói a paz e danifica a imagem do país – afirmou o primeiro-ministro da Tailândia, Prayuth Chan-ocha, através do Twitter.

Em comunicado, o governo do país declarou que está investigando as explosões, pedindo à população que evite “pânico” e que a imprensa não tire conclusões precipitadas antes de as investigações serem finalizadas.

Nenhum grupo reivindicou os ataques, similares a outras explosões ocorridas nos últimos anos em meio às convulsões políticas do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *