Serviço social do Segurança Presente já atendeu mais de 7o mil pessoas 

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 12 de fevereiro de 2019 as 13:55, por: CdB

Desenvolvido por assistentes sociais experientes, o trabalho, que tem a finalidade de orientar adultos, idosos, adolescentes e crianças em situação de vulnerabilidade social – coleciona histórias de sucesso.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Diferencial das Operações Segurança Presente, o serviço social da ação permanente, vinculada à Secretaria de Governo, já atendeu mais de 70 mil pessoas. Desenvolvido por assistentes sociais experientes, o trabalho, que tem a finalidade de orientar adultos, idosos, adolescentes e crianças em situação de vulnerabilidade social – coleciona histórias de sucesso.

Ação articula parcerias com as redes de serviços públicos e privados

É na base das operações que o atendimento aos moradores de rua é realizado. Pessoas de diversas idades procuram os profissionais da equipe de assistência social do Governo do Estado com o intuito de conseguir abrigo, tratamento para dependência química, orientação para a expedição de documentos e encaminhamento para vagas de emprego.

– Temos atendido a diversos casos com resultados muito positivos. São pessoas que buscam orientação para tirar segunda via de documentos perdidos ou roubados, pessoas que encaminhamos para empregos ou que damos suporte para buscarem uma vida melhor – contou a assistente social Andréa Baggio, que trabalha na base da Operação Aterro Presente, no bairro do Flamengo.

Ouvir aqueles que, muitas vezes, passam por situações de penúria, entre outras dificuldades, é a principal forma de entendimento das situações enfrentadas por quem saiu de casa ou mesmo de sua cidade.

O Serviço Social da Operação Segurança Presente articula parcerias com as redes de serviços públicos e privados com a finalidade de garantir os direitos sociais básicos.

– Ouvimos cuidadosa para entendermos o contexto de vida do morador de rua e saber como ajudá-lo. Temos parcerias com organizações e estabelecimentos para dar o suporte mais indicado. Os moradores chegam de forma espontânea ou por indicação de algum de nossos agentes – disse a assistente social do Aterro Presente, Rosângela Domingos.

Ajuda que transforma

O atendimento social desenvolvido reúne histórias de sucesso como a de Leonardo Rafael Cardoso Aires, nascido em Porto Alegre. Sem dinheiro, comida e casa, ele teve a sorte de ser abordado por um agente da Operação Aterro Presente. Ao contar sua história, foi prontamente atendido pela equipe de assistentes sociais. Hoje, o ex-morador de rua trabalha como vendedor de uma loja de sapatos e atua na venda de produtos que utilizam a técnica de sublimação.

– Tinha dinheiro, mas fui assaltado. Fiquei desesperado. Me orientaram a tirar documentos e me ajudaram com a aparência física para que eu procurasse emprego. Cortei cabelo, recebi roupas doadas. Meu primeiro trabalho foi de entregador de quentinhas. Hoje estou casado e tenho um filho de três meses. Minha vida mudou bastante. Agradeço à equipe de assistência social. Viraram meus amigos – contou Leonardo, 24 anos.

Ajudado pela equipe do Centro Presente, Eduardo Souza Rivera, de 33 anos, diz ter ganho uma nova vida. Ex-morador de rua e usuário de drogas, ele foi resgatado pelas assistentes sociais do Segurança Presente e hoje pensa em estudar Psicologia ou Administração.

– Morei na rua, fui usuário de drogas e tentei me matar duas vezes. Na rua passei por diversas situações difíceis, mas recebi todo o apoio das assistentes sociais do Centro Presente. Passei por 13 clínicas de internação e na última consegui parar de usar drogas e arranjei um emprego, mas tive que cuidar da saúde e estou afastado pelo INSS. Fui salvo pela insistência destas mulheres que diariamente assistem pessoas em situação de vulnerabilidade social – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *