Serviços de inteligência ocidentais acusam a China de esconder e destruir dados sobre o covid-19

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 3 de maio de 2020 as 11:54, por: CdB

Serviços de inteligência dos EUA, Austrália, Nova Zelândia, Canadá e Reino Unido criaram dossiê que acusa a China de conhecer o vírus antes de reconhecer sua existência para o mundo.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

Serviços de inteligência dos EUA, Austrália, Nova Zelândia, Canadá e Reino Unido criaram dossiê que acusa a China de conhecer o vírus antes de reconhecer sua existência para o mundo.

Serviços de inteligência ocidentais acusam a China de esconder e destruir dados sobre o coronavírus
Serviços de inteligência ocidentais acusam a China de esconder e destruir dados sobre o coronavírus

Segundo as acusações, a China teria intencionalmente escondido e destruído as informações sobre o coronavírus que mostravam o surto da doença covid-19.

O dossiê, de 15 páginas, também afirma que a China “submeteu outros países ao risco”, além de “calar” ou “fazer sumir” os médicos que sabiam do coronavírus, publicou o The Daily Telegraph.

Além disso, a China teria destruído provas sobre a existência do coronavírus em laboratórios e se recusou a apresentar materiais científicos a cientistas que desenvolviam uma vacina.

Segundo o dossiê, a China já sabia ainda no início de dezembro passado que o coronavírus era transmissível entre os seres humanos, mas “negou tal fato até 20 de janeiro”.

Por sua vez, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também negou tal informação durante o mesmo período, de acordo com o relatório.

Na ocasião, Taiwan já suspeitava da possibilidade de transmissão do coronavírus entre humanos ainda no final de dezembro.

Suposta origem do coronavírus

O dossiê também aponta o que seriam evidências da suposta origem do coronavírus.

Um grupo de cientistas chineses encabeçados pela pesquisadora Shi Zhengli, do Centro de Virologia de Wuhan, na China, teria descoberto amostras de um coronavírus em uma caverna da província de Yunnan com características genéticas muito semelhantes ao coronavírus causador da covid-19, enquanto pesquisavam a síntese de um coronavírus, oriundo de um morcego, que não poderia ser tratado.

Discordância entre os serviços de inteligência

Por sua vez, um representante do governo dos EUA teria comunicado ao canal de TV FOX News que o relatório está em concordância com os dados obtidos pela inteligência norte-americana sobre o assunto.

Contudo, as inteligências dos cinco países discordam sobre a real origem da pandemia.

Para a Austrália, ela teria se iniciado no mercado de Wuhan, o que é defendido pela China.

Já a maioria dos serviços de inteligência norte-americanos tende a acreditar que o vírus teve origem no laboratório de Wuhan, embora esta não seja uma visão unânime.

Por sua vez, o presidente Donald Trump já endereçou ameaças à China afirmando que o país sofrerá consequências caso seja confirmado que a pandemia foi desencadeada por falta intencional de Pequim.