Servidores do Metrô de São Paulo adiam decisão sobre greve

Arquivado em: Brasil, Manchete, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 30 de abril de 2019 as 10:09, por: CdB

Os metroviários reivindicam reajuste salarial de 4,32%, pelo índice de custo de vida do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), aumento real de 19,1%.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

A greve dos funcionários do Metrô de São Paulo prevista para esta terça-feira foi adiada após assembleia dos metroviários. Eless não fizeram acordo com a empresa durante audiência no Tribunal Regional do Trabalho da Segunda Região, na noite anterior, e marcaram uma nova reunião para 6 de maio, quando votarão sobre a possibilidade de paralisação no dia 7.

Funcionários do Metrô de São Paulo adiam decisão sobre greve

Os metroviários reivindicam reajuste salarial de 4,32%, pelo índice de custo de vida do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), aumento real de 19,1% e reajuste real nos vales alimentação e refeição. Como resultado da audiência de conciliação de ontem, o desembargador Rafael Pugliese Ribeiro determinou correção pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe.

O desembargador decidiu multa diária de R$ 300 mil ao Metrô em caso de descumprimento da ordem de reajuste salarial. Os funcionários também não poderão ser punidos pelo uso de coletes e adesivos grevistas, caso contrário o Metrô pagará multa diária de R$ 20 mil por trabalhador.

Segundo o Sindicato dos Metroviários, os funcionários seguirão usando os coletes nos setores de tráfego, segurança e dentro das estações, além de promover atividades como o café com o usuário. Aqueles que trabalham na administração e manutenção do Metrô farão o manifesto com uso de adesivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *