Servidores da saúde de Hong Kong encerram greve

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020 as 12:20, por: CdB

Os trabalhadores do setor da saúde em Hong Kong decidiram nesta sexta-feira, por maioria, encerrar a greve que, entre outras reivindicações, exigia o fechamento total da fronteira com a China continental.

Por Redação, com EFE – de Hong Kong

Os trabalhadores do setor da saúde em Hong Kong decidiram nesta sexta-feira, por maioria, encerrar a greve que, entre outras reivindicações, exigia o fechamento total da fronteira com a China continental como medida preventiva contra a propagação do coronavírus, que já matou 636 pessoas no país asiático.

 Trabalhadores da saúde de Hong Kong encerram greve após 5 dias
Trabalhadores da saúde de Hong Kong encerram greve após 5 dias

Após um dia de votação online, 3.600 membros do sindicato Aliança de Trabalhadores da Autoridade Hospitalar de Hong Kong decidiram acabar com o protesto, enquanto 3.000 preferiam continuá-lo.

– Nos últimos cinco dias, conseguimos apoio de todos os setores. Até mesmo os pacientes afetados nos escreveram expressando apoio e compreensão – disse a presidente do sindicato, Winnie Yu, ao anunciar os resultados.

O fim da greve

Durante a greve, o governo tinha pedido repetidamente aos trabalhadores da saúde para que voltassem aos postos em Hong Kong, que já tinha registrado uma morte entre as 24 infecções de coronavírus diagnosticadas.

No final da greve, quatro dos 14 postos de fronteira entre Hong Kong e a China continental permanecem abertos.

Entre as outras exigências dos grevistas estava a necessidade de equipamentos de trabalho adequados, como máscaras. O medo do contágio tornou quase impossível obtenção esse tipo de equipamento na cidade.

O fim da greve coincidiu com o anúncio do governo de Hong Kong de medidas para os viajantes da China continental que tentarem descumprir a quarentena de 14 dias que será obrigatória a partir da meia-noite (hora local; 13h desta sexta-feira em Brasília). As violações serão punidas com até seis meses de prisão ou uma multas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *