Síria ganha terreno em segundo dia de trégua convocada pela Rússia

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 as 12:54, por: CdB

As forças governamentais avançaram na área de Hawsh al-Dawahira, ao leste do reduto sitiado da oposição, segundo o Observatório

Por Redação, com Reuters – de Beirute:

Forças do governo sírio e milícias aliadas ganharam terreno nesta quarta-feira em confrontos com rebeldes na região de Ghouta Oriental, perto de Damasco, à medida que o combate se intensificou apesar de um plano de cessar-fogo da Rússia, relatou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Fumaça é vista na região de Ghouta Oriental, na Síria

As forças governamentais avançaram na área de Hawsh al-Dawahira, ao leste do reduto sitiado da oposição, segundo o Observatório. O Exército sírio e fontes rebeldes não puderam ser encontrados de imediato para comentar.

O plano da Rússia previa cessar-fogos diários de cinco horas em Ghouta Oriental entre 9h e 14h (horário local). Mas, após uma breve trégua, o acordo desmoronou com novos bombardeios na terça-feira, o primeiro dia do plano.

Ghouta Oriental, onde vivem cerca de 400 mil pessoas segundo a ONU, é um importante alvo para o presidente sírio, Bashar al-Assad, que tem recuperado diversas áreas das mãos de rebeldes com a ajuda de militares russos e iranianos.

“Incendiária e bombeira”

Um general de alta patente dos Estados Unidos acusou a Rússia na terça-feira de desempenhar um papel desestabilizador na Síria e de agir como “incendiária e bombeira”; enquanto uma trégua breve declarada unilateralmente por Moscou em Ghouta Oriental fracassava.

Os EUA e a Rússia estão em lados diferentes da guerra de sete anos e muitos envolvidos, na qual os russos são os principais aliados do presidente sírio, Bashar al-Assad, cujas forças estão sitiando Ghouta Oriental, área rebelada próxima de Damasco.

– Diplomática e militarmente, Moscou se faz ao mesmo tempo de incendiária e bombeira, alimentando tensões entre todas as partes na Síria… e depois servindo como árbitro para resolver disputas, tentando minar e enfraquecer as posições de barganha de cada parte – disse Joseph Votel, general do Exército norte-americano.

Votel chefia o Comando Central dos militares dos EUA. Ele falava em uma audiência do Comitê dos Serviços Armados da Câmara dos Deputados.

Na última semana o Exército sírio e seus aliados sujeitaram Ghouta Oriental a um dos bombardeios mais intensos da guerra de sete anos, matando centenas de pessoas.

Um pedido russo de uma trégua diária de cinco horas, feito na terça-feira; não deteve o bombardeio, e moradores disseram que os aviões de guerra do governo retomaram o ataque à região após uma breve pausa.

A Organização das Nações Unidas (ONU) disse estar se tornando impossível acudir os civis ou retirar os feridos e; que todos os lados deveriam obedecer um cessar-fogo total de 30 dias exigido pelo Conselho de Segurança da entidade.

Votel disse que a Rússia não conseguiu conter sua aliada Síria.

– Acho que ou a Rússia tem que admitir que não é capaz; ou não quer cumprir um papel para acabar com o conflito sírio. Acho que seu papel é incrivelmente desestabilizador a esta altura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *