Síria: ONU pede implementação imediata da trégua de 30 dias

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018 as 14:32, por: CdB

Ele reiterou que a ONU está preparada para “desempenhar o seu papel” neste sentido, a fim de atender os sírios e enviar, através das suas agências humanitárias

Por Redação, com EFE – de Genebra:

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu nesta segunda-feira a implementação imediata e sustentada da trégua de 30 dias em toda a Síria, exigida pelo Conselho de Segurança neste fim de semana, a fim de atender os sírios e evacuar os doentes, principalmente em Ghouta Oriental.

ONU pede implementação imediata da trégua de 30 dias na Síria

– Enquanto saúdo a adoção por parte do Conselho de Segurança da resolução sobre a cessação de hostilidades; em toda a Síria durante pelo menos 30 dias; também digo que as resoluções só fazem sentido se são efetivamente implementadas – declarou Guterres durante a abertura da 37ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

– É por isso que espero que a resolução seja implementada imediatamente e de maneira sustentada; particularmente para assegurar de forma imediata, segura e sem impedimentos a entrega contínua de ajuda e serviços humanitários; evacuar os doentes graves e os feridos e aliviar o sofrimento dos sírios – acrescentou o secretário-geral da ONU.

Ele reiterou que a ONU está preparada para “desempenhar o seu papel” neste sentido; a fim de atender os sírios e enviar, através das suas agências humanitárias, a ajuda necessária às áreas cercadas e de difícil acesso.

“Inferno sobre a terra”

–  Como disse há poucos dias no Conselho de Segurança, em particular Ghouta Oriental – controlada pela oposição – não pode esperar. É hora de parar este inferno sobre a terra – reforçou Guterres.

O secretário-geral da ONU também quis lembrar a todas as partes enfrentadas no conflito sírio; e aos países com influência política e militar sobre elas de sua “absoluta obrigação de proteger os civis e as infraestruturas civis o tempo todo sob o Direito Humanitário Internacional e as leis internacionais de direitos humanos”.

Nesse sentido, o alto comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al Hussein; também insistiu na “plena implementação sem atraso” da resolução do Conselho de Segurança; mas pediu “cautela” porque os ataques aéreos sobre Ghouta Oriental “continuavam na manhã desta segunda-feira”.

Hussein também quis ressaltar que a resolução 2401 deve ser vista no contexto de “sete anos de fracasso (da comunidade internacional) para frear a violência na Síria”.