Situação na Igreja da Natividade está em “processo de erupção”

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 11 de abril de 2002 as 15:00, por: CdB

A situação humanitária dentro da Igreja da Natividade, em Belém, está se deteriorando rapidamente, de acordo com uma autoridade religiosa que tenta negociar o fim nove dias de impasse no local onde, para a comunidade cristã, nasceu Jesus. “A situação na Igreja da Natividade é comparável a um vulcão aguardando para entrar em erupção e isso pode ocorrer a qualquer momento, a menos que possamos negociar uma forma de aplacar as urgentes necessidades humanitárias”, declarou o cônego Andrew White, que foi enviado pela Igreja Anglicana ao Oriente Médio, como um dos muitos representantes cristãos envolvidos em negociações para acabar com o impasse no complexo, construído sobre a suposta localização da manjedoura de Jesus. Mais de 200 palestinos e cerca de 40 religiosos estão encurralados na igreja desde o dia 29 de março.

Israel afirma que muitos dos palestinos no local estão armados e são procurados pelas forças de segurança. No entanto, um funcionário da igreja declarou à CNN que os palestinos refugiaram-se na igreja para proteger-se da incursão israelense em Belém. White revelou que as negociações são difíceis porque os mediadores têm que dialogar com diferentes facções e partidos, tanto do lado israelense quanto do palestino.

Israel alega que muitos dos funcionários da igreja estão sendo mantidos como reféns, mas White disse que – com base em conversas com as pessoas que estão no complexo – não precebeu isso. “Podemos falar com certeza que aqueles que estão dentro têm medo de sair, mas não acredito que sejam reféns”, relatou White. “Os israelenses estão dizendo que os líderes religiosos podem deixar o complexo, mas eles estão apreensivos em aceitar essa oferta porque querem garantir a segurança do local sagrado”. Pelo menos quatro padres deixaram a igreja desde o início do impasse.

Na quarta-feira, as forças israelenses feriram a tiros um monge armênio quando ele caminhava pelo complexo. O Exército israelense declarou que “lamenta profundamente” o incidente, ocorrido quando seus soldados entregavam alimentos e remédios à igreja. O monge foi levado a um hospital de Jerusalém.

Na segunda-feira, um policial palestino foi morto por um atirador de elite israelense quando tentava extinguir um incêndio na Igreja da Natividade, de acordo com um padre que está no complexo. White enfatizou que há uma “urgente necessidade de resolução”.

“Há pessoas lá que seriam supostamente responsáveis por atividades terroristas, segundo o lado israelense, e ao mesmo tempo há muitos civis inocentes e religiosos, todos juntos, em um local destinado à adoração e não à moradia”, observou o cônego.