Sobe número de pessoas detidas após protestos na França

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 9 de dezembro de 2018 as 12:29, por: CdB

A participação dos “coletes amarelos” nas ações que tinham convocado por todo o país, de acordo com as contas do departamento de Interior, foi a mesma do dia 1º de dezembro.

Por Redação, com EFE – de Paris

Um total de duas mil pessoas foram detidas no sábado na França no quarto sábado consecutivo de protestos dos “coletes amarelos”, que levaram às rua 136 mil manifestantes, segundo o Ministério do Interior do país.

Mais de 1.700 pessoas são detidas na França após protestos

Só em Paris houve 1.082 detenções e 96 pessoas ficaram feridas, delas, dez policiais, segundo a Polícia.

Dentre esses detidos, ficaram sob custódia 1.220 pessoas, disseram hoje fontes do Ministério.

– Globalmente a violência foi menor que na semana anterior e o nível de tensão diminuiu, mas a situação não é satisfatória – declarou o porta-voz do Governo, Benjamin Griveaux, em entrevista à emissora “Europe 1”.

A participação dos “coletes amarelos” nas ações que tinham convocado por todo o país, de acordo com as contas do departamento de Interior, foi a mesma do dia 1º de dezembro.

O porta-voz confirmou que o presidente francês, Emmanuel Macron, que não discursou publicamente em toda a semana, apesar da gravidade da situação, falará no começo desta, embora não tenha detalhado de que forma.

Em sua conta do Twitter, Macron ontem à noite postou uma mensagem para agradecer as forças da ordem por sua “coragem e excepcional profissionalismo” que mostraram.

Os distúrbios de ontem foram de menor gravidade que os do sábado passado em Paris. Apesar disso, se repetiram cenas de carros queimados, lojas saqueadas, vitrines quebradas e barricadas nas ruas, em particular nos bairros de Champs-Elisees, nos Grandes Bulevares e na praça da República.

Fora da capital, algumas manifestações dos “coletes amarelos” acabaram em violência, como em Toulouse, em Saint-Etienne e em Bordeaux, onde um manifestante ficou gravemente ferido ao pegar com a mão uma bomba de gás lacrimogêneo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *