Spotify tem resultado acima do esperado com alta em número de assinantes

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 28 de outubro de 2019 as 11:25, por: CdB

O serviço de streaming de música mais popular do mundo por ampla margem, prevê um total de assinantes premium no quarto trimestre na faixa de 120 milhões a 125 milhões.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

A Spotify divulgou lucro acima do esperado nesta segunda-feira impulsionada por crescimento na base de assinantes de seu serviço de streaming de música.

A Spotify divulgou lucro acima do esperado nesta segunda-feira impulsionada por crescimento na base de assinantes
A Spotify divulgou lucro acima do esperado nesta segunda-feira impulsionada por crescimento na base de assinantes

A empresa sueca, que superou a Apple Music na corrida para dominar o mercado de streaming de música globalmente, disse que seu número de assinantes premium aumentou 26 milhões sobre um ano antes para 113 milhões no final de setembro.

Isso ainda deixa a Spotify atrás dos 158 milhões de assinantes da Netflix, mas o número é maior que os 112,9 milhões esperados por analistas, de acordo com dados da Refinitiv.

O serviço de streaming de música mais popular do mundo por ampla margem, prevê um total de assinantes premium no quarto trimestre na faixa de 120 milhões a 125 milhões.

Usuários

A empresa espera que sua base total de usuários mensais cresça para 255 milhões a 270 milhões no trimestre atual, acima da estimativa média dos analistas de 259,7 milhões.

No terceiro trimestre, o lucro líquido atribuível aos acionistas foi de 241 milhões de euros, ou 0,36 euro por ação, em comparação com 43 milhões de euros, ou 0,23 euro por ação, um ano antes. Analistas esperavam um prejuízo de 0,29 euro por ação.

As despesas operacionais aumentaram 11%, para 387 milhões de euros, com despesas em vendas e marketing subindo quase 22% em relação ao ano anterior.

A receita, no entanto, aumentou 28%, para 1,73 bilhão de euros nos três meses terminados em 30 de setembro. Analistas esperavam receita de 1,72 bilhão de euros.

Microsoft e Amazon

A Microsoft ganhou um contrato do US$ 10 bilhões do Pentágono para computação de nuvem, informou o Departamento de Defesa, vencendo a favorita Amazon.com.

O processo de licitação vinha sendo marcado por alegações de conflito de interesse, atraindo até a atenção do presidente Donald Trump, que publicamente atacou a Amazon e seu fundador, Jeff Bezos.

Trump disse em agosto que seu governo estava revendo a proposta da Amazon após reclamações de outras empresas.

O contrato da Nuvem de Infraestrutura de Defesa Corporativa Conjunta (JEDI, sigla em inglês) faz parte de uma modernização digital mais ampla do Pentágono, com o objetivo de torná-lo mais ágil tecnologicamente.

Especificamente, o objetivo da JEDI é dar ao Exército melhor acesso a dados e à nuvem a partir dos campo de batalha e outros locais remotos.

A Oracle expressou preocupações sobre o processo de licitação, incluindo o papel de um ex-funcionário da Amazon que trabalhou no projeto no Departamento de Defesa, mas se retirou do processo, e, depois, deixou o Departamento de Estado e retornou à Amazon Web Services.

Em um comunicado, um porta-voz da Amazon Web Services (AWS) disse que a empresa estava “surpresa pela conclusão” do processo de escolha. A AWS está considerando opções para apelar do resultado, disse uma pessoa familiar ao assunto à agência inglesa de notícias Reuters.

Embora o Pentágono seja a maior potência militar do mundo, sua tecnologia de informação permanece terrivelmente inadequada, segundo muitos oficiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *