Sterling defende tatuagem de arma em resposta a críticas

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 29 de maio de 2018 as 14:07, por: CdB

O jogador do Manchester City publicou uma foto no Instagram durante treino da seleção inglesa no centro de treinamentos de St. George’s Park para a Copa do Mundo da Rússia do mês que vem

Por Redação, com Reuters – de Londres:

O atacante Raheem Sterling, da seleção da Inglaterra, defendeu sua tatuagem nova que mostra um fuzil de assalto, depois que ativistas contra as armas a descreveram como “repugnante” nesta terça-feira.

Atacante da seleção inglesa Raheem Sterling

O jogador do Manchester City publicou uma foto no Instagram durante treino da seleção inglesa no centro de treinamentos de St. George’s Park para a Copa do Mundo da Rússia do mês que vem, na qual a tatuagem de um fuzil é perfeitamente visível em sua perna direita.

Fundadora do grupo de ativistas Mães Contra as Armas, Lucy Cope; cujo filho morreu baleado diante de uma casa noturno de Londres em julho de 2002; disse: “A tatuagem é repugnante. Raheem deveria estar morto de vergonha. É totalmente inaceitável”.

– Exigimos que ele remova a tatuagem a laser ou a cubra com outra tatuagem. Se ele se recusar; deveria ser tirado da seleção inglesa.

Copa do Mundo

Sterling, que é um dos 23 jogadores que o técnico Gareth Southgate convocou para a Copa do Mundo; voltou ao Instagram para se defender, insistindo; que a tatuagem tem um “significado mais profundo”.

– Quando eu tinha dois anos meu pai foi morto a tiros; e eu prometi a mim mesmo que jamais tocaria em uma arma na minha vida, eu chuto com o pé direito; então tem um significado mais profundo e ainda não foi concluída – escreveu o jogador de 23 anos.

A Inglaterra estreia na Copa do Mundo contra a Tunísia; em Volgogrado, em 18 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *